Ed. Superior: assembleia de 13/03 aprova reivindicações e debate descaso patronal

Destaque na primeira pagina, Notícias
Ed. Superior: assembleia de 13/03 aprova reivindicações e debate descaso patronal

A Assembleia da Educação Superior sobre a Campanha Salarial de 2021, realizada de forma virtual neste sábado, dia 13 de março, deliberou a Pauta de Reivindicações e debateu o descaso do patronato na pandemia. A assembleia aprovou a Pauta Econômica, reivindicando o INPC, que deve ser estipulado em abril, mais 10% de abono em outubro e também aprovou o conjunto de propostas integrantes da Pauta de Reivindicações, apresentada à assembleia da Educação Superior pela Diretoria do Sinpro-Rio, para a Campanha Salarial 2021 e CCT 2021/2022. Em breve, publicaremos a proposta aprovada sobre a CCT, que passará antes pelo Departamento Jurídico do Sinpro-Rio, em razão de alterações propostas na assembleia. 

Debate sobre a Educação Superior na Pandemia:
A assembleia discutiu ainda problemas relativos ao momento trágico em que vivemos, com a pandemia, e reflexos na categoria da Educação Superior.
Professores e professoras relataram a situação de descaso do patronato que se agravou na pandemia. Relatos: atrasos salariais; demissões; insensibilidade do patronato a respeito do trabalho remoto, com o não ressarcimento de gastos com equipamentos, Internet e energia elétrica, defasagem entre o tempo de trabalho e o que é pago pelos patrões nas aulas remotas, trabalhando-se muito mais do que a jornada contratada, direito de imagem não pago; e assédio moral frequente.

Oswaldo Teles, presidente do Sinpro-Rio, ressaltou a importância de ter ouvido professoras e professores sobre os problemas ocasionados pelo descaso do patronato e alertou sobre a importância de se entrar em contato com o sindicato, através do setor Jurídico e do Plantão da Diretoria. “Realidade muito difícil que estamos passando, o poder econômico está se aproveitando da pandemia. Nosso jurídico tem ganhado mais de 80% das causas, sejam individuais ou coletivas. Estamos fazendo 90 anos e o sindicato não é a diretoria, somos passageiros. O Sinpro-Rio é a categoria. O patronato só recua quando agimos coletivamente. Sem organização social, sem o coletivo, não temos como enfrentar a pandemia".