Feteerj: ‘Sinpro-Rio denuncia faculdade IBMR por assédio eleitoral’

Notícia da Feteerj

Que coisa feia, IBMR! Assediando seus funcionários na eleição? Pois é, a direção do Instituto Brasileiro de Medicina e Reabilitação (IBMR), centro de Ensino Superior, “trocou” a senha do sistema de intranet (sistema interno de rede de internet acessível apenas aos servidores), no prédio sede na Praia de Botafogo, esta semana, para os dizeres: “liberdade22”. O número é o mesmo do candidato de extrema direita Jair Bolsonaro.
Como a direção do Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro, o Sinpro-Rio, entidade filiada à Feteerj, não acredita em coincidência, denunciou, imediatamente, o caso ao Ministério Público do Trabalho (MPT), que já notificou a empresa a trocar em 48 horas a senha, sob o risco de ser multada e responder a processo por crime eleitoral e assédio aos seus funcionários.
Segundo o jornal O Globo, a assessoria de imprensa da IBMR informou que repudia “qualquer atitude que possa caracterizar assédio eleitoral” etc. Mas a verdade é que a senha foi trocada com uma alusão direta a um dos candidatos, o que no entendimento do Sinpro-Rio é assédio no trabalho.
O sindicato está atento à situação na IBMR e aguarda o cumprimento da notificação do MPT.


Sofrendo assédio eleitoral? É crime! Denuncie anonimamente para as Centrais Sindicais!
A Feteerj apoia a atuação do Sinpro-Rio e alerta às professoras e professores: se o seu patrão está coagindo os docentes da sua escola a votarem em um determinado candidato, denuncie ao Sinpro de sua região (clique aqui para acessar os contatos em todo o estado)! Esta prática é criminosa e, agora, as Centrais Sindicais criaram um canal para que você possa denunciar a coação, de forma anônima! As Centrais encaminharão as denúncias para o Ministério Público do Trabalho (MPT).

<- Voltar