Fórum Permanente de Educação Superior se reúne mais uma vez

Notícias

No dia 14 de maio, ocorreu a quinta edição do Fórum Permanente de Educação Superior, que pretende diagnosticar a situação das universidades privadas do Rio de Janeiro. O tema foi a efetividade da Lei de Diretrizes Básicas da Educação (LDB). Compuseram a mesa a diretora do Sinpro-Rio, Magna Correa, o advogado do Sindicato, Marcio Cordeiro; e a consultora Aparecida Tiradentes, que apresentou todo o histórico de criação da LDB, contando as manobras do Governo FHC para que sua aprovação passasse despercebida pela opinião pública.

Segundo ela, após várias vezes inexplicavelmente sair de pauta, a LDB foi aprovada de forma inesperada no dia 26 de dezembro de 1996.

- Estávamos todos envolvidos com Natal, achando que nada mais ocorreria no Congresso naquele ano e, de repente, veio a aprovação - contou.

As reformas que a LDB sofreu até os dias de hoje também foram discutidas. Dois períodos distintos foram destacados: o primeiro, marcado pela desregulamentação do setor privado, na gestão do ministro Paulo Renato - atual secretário Estadual de Educação de São Paulo e dono de uma consultoria especializada na área. E o segundo, em que a regulamentação foi retomada, pela gestão do atual ministro Fernando Haddad.

- Coincidentemente, no período em que Paulo Renato foi ministro, as matrículas na rede privada tiveram sua maior expansão. Hoje, são as da rede pública que estão crescendo - observou Aparecida Tiradentes.

Antes que o Fórum fosse aberto para intervenções, o 1º vice-presidente do Sinpro-Rio, Francilio Paes Leme, falou a respeito da situação da Campanha Salarial 2009, que, de acordo com ele, este ano está mais delicada do que nos anteriores.

- As instituições estão levando para a mesa de negociação com a categoria soluções para os problemas financeiros que vêm enfrentando - explicou Francilio.

Restaurant Week no Rio, projeto com restaurantes a preços acessíveis vai até 23 de maio

O Restaurant Week surgiu há 16 anos em Nova York, para ser parceiro do Fashion Week e aumentar o volume de vendas na época de férias em Julho. Começou com cerca de 90 restaurantes durante uma semana somente e foi sucesso total. O projeto do Restaurant Week Brasil iniciou pela cidade de São Paulo no segundo semestre de 2007, com a participação de 45 restaurantes, arrecadando R$ 6.000. A segunda edição, no primeiro semestre de 2008, reuniu 49 dos melhores restaurantes da cidade e arrecadou R$ 21.900 em doações. No Rio de Janeiro, o projeto teve início na última segunda-feira e vai até o dia 23 de maio. Com preços acessíveis, restaurantes de diversos gêneros foram desafiados a criar cardápios diferentes com entrada, prato principal e sobremesa a um preço fixo: almoço R$25 +R$1 e jantar R$39+R$1 (sendo o R$1 destinado a instituições beneficentes). Veja a relação de restaurantes participantes www.restaurantweek.com.br