Moção de apoio à luta contra o fechamento da Caoa Chery

A decisão da Caoa Chery em fechar sua fábrica na cidade de Jacareí (SP) traz consequências sociais que não podem ser desprezadas.

Além dos 480 trabalhadores diretos que perderão seus empregos, outros postos de trabalho serão fechados na cadeia de autopeças, comércio e serviços. É preciso que a população, especialmente a classe trabalhadora, repudie essa arbitrariedade da Caoa Chery e exija a permanência da fábrica na cidade.

Embora ainda tenha pequena participação no mercado do setor automotivo no Brasil, a montadora registrou 97% de crescimento entre 2020 e 2021. Está entre as Top 10 do setor no mercado brasileiro.

Para chegar a essa condição, a fábrica contou com o esforço, conhecimento e suor dos trabalhadores. Contou, também, com incentivos fiscais (como a isenção de IPTU) e obras públicas construídas para beneficiá-la. Agora, quer fechar as portas, apagar as luzes e virar as costas para a cidade. Não vamos admitir tamanha irresponsabilidade social. O poder público tem o dever de impedir o fechamento da Caoa Chery.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos já propôs um projeto de lei nesse sentido. Prefeito e vereadores têm de abraçar esse PL e devolver à cidade os postos de trabalho que podem ser fechados a partir de janeiro. Graças à luta organizada pelo Sindicato, as demissões foram suspensas. O próximo passo é garantir a permanência da fábrica em Jacareí.

Aqui cabe também a discussão sobre a desindustrialização do país e do Vale do Paraíba, polo industrial que ao longo dos anos vem assistindo o fechamento de fábricas. Sem que o governo federal tome qualquer medida contrária a esse processo, os trabalhadores da indústria estão se vendo obrigados a migrar para os setores do comércio e serviço, onde recebem salários menores e têm menos direitos.

Vivemos sob um governo que corta investimentos em ciência e tecnologia, rebaixa direitos trabalhistas e privilegia o agronegócio e mineradoras – um erro que pode levar o Brasil ao caos social e ambiental. Diante desse cenário, deixamos aqui todo nosso apoio à luta contra o fechamento e pela estatização da Caoa Chery, sob controle dos trabalhadores.

Sinpro-Rio – Em Defesa da Vida e da Educação

<- Voltar