Aprovação de criança para Direito indica mercantilização

Notícias

O presidente da Seccional de Goiás da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Miguel Cançado, considerou preocupante a informação de que uma criança de apenas oito anos passou no vestibular da Universidade Paulista (Unip), de Goiânia, para o curso de Direito. Na avaliação de Cançado, o fato materializa o alerta que a entidade vem fazendo há tempos sobre a baixa qualidade e a mercantilização do ensino jurídico, mazela que não está sendo tratada pelas autoridades com a devida urgência que requer. "O referido fato, por si só, caso seja comprovado, merece que a instituição de ensino sofra imediata intervenção do MEC para que se verifique se casos semelhantes ocorrem com freqüência e em que circunstância o episódio ocorreu".

A OAB-GO defendeu ainda, por meio de nota, maior rigor na fiscalização das instituições de ensino superior por parte do Ministério da Educação e que sejam punidas aquelas que tratam o curso de Direito com interesse meramente mercantil, "desrespeitando a relevância da boa formação do bacharel para a sociedade".

João Victor Portellinha de Oliveira foi aprovado no vestibular Unip com oito anos de idade, mas cursa apenas a 4ª série do ensino fundamental. Ele fez a inscrição para o vestibular há uma semana, pela Internet, e foi responder às questões da prova (de múltipla escolha) pessoalmente, na última sexta-feira.

Delaíde Arantes - Presidente da OAB/GO