Assembleia da Educação Superior aprova eixos da Campanha Salarial 2014 e recupera a luta desse segmento

Notícias

07/04/2014

A assembleia da Educação Superior aprovou os eixos para a Campanha 2014. O atual cenário da Educação Superior no Brasil foi apresentado como um dos grande desafios para a luta dos trabalhadores. A qualidade do ensino tem sido suplantada pela lógica do mercado em que flexibilizar é a solução para qualquer problema, seja ele, trabalhista ou de cunho pedagógico.

De acordo com a diretora Viviane Siqueira: “A Educação voltada para a lógica do mercado é contrária aos valores éticos, morais e fundamentais para a organização de uma sociedade que se quer mais justa, igualitária e solidária. Educação não deve virar mercadoria, o aluno não pode ser transformado em objeto sujeito a preço no mercado e o professor nunca pode ser uma mera engrenagem a ser trocada em qualquer instante nesse processo de destruição do maior bem social que uma nação poderia almejar.

O Sinpro-Rio, de forma sistemática, vem ampliando suas frentes de luta: estando no dia a dia das Instituições que passam por problemas de atrasos salariais e através de diferentes fóruns, como: Assembleia Legislativa, Ministério Público Federal e Ministério da Educação vem denunciando as irregularidades promovidas pelas IES Privadas.

Para a campanha de 2014 foi aprovado:

1 – Reajuste salarial com base no Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC) completo, acrescido de ganho real de 2%;
2 – Manutenção das cláusulas sociais pré-existentes, constantes da CCT 2013.
3 - Contribuição Assistencial.
4 - Acréscimo de novas cláusulas sobre a Pós-graduação e EAD.

Ao longo de 2013, tanto Pós-graduação e Ead, foram objetos de inúmeras e exaustivas reuniões para se definir um roteiro mínimo de pauta e por conta da total desregulamentação, esses setores foram eleitos como prioritários nas negociações, levando a paritária temática de plano de cargos e salários para ser debatida ao longo de 2014.

Por este motivo, sua presença será fundamental nos atos de rua e na próxima assembleia a ser agendada no horário da manhã, para o final do mês de abril.