CNC E SESC Nacional priorizam lucro em detrimento da Educação

Destaque na primeira pagina, Notícias


CNC E SESC Nacional priorizam lucro em detrimento da Educação

No final de ano de 2021 a Escola Sesc de Ensino Médio, situada no bairro da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, enterra um dos maiores projetos educacionais promovidos com o dinheiro público em detrimento de uma reformulação do "PLANO DE NEGÓCIOS". Tal termo foi usado por sua representação durante a mesa de negociação com o Sinpro-Rio, que está questionando o processo de demissão em massa de professores, já que metade do corpo docente foi dispensado.

A direção do SESC Nacional propôs, em uma mesa de negociação, verbas indenizatórias para amenizar o processo demissional, mas, de forma inédita em negociações trabalhistas, após aprovação em assembleia de professores, a mesma direção passou a afirmar não ter feito acordo algum e que não pagaria nada além do que a lei determina.

Isso coloca a direção do SESC Nacional em um novo campo: o de se negociar não cumprindo o que se promete e simulando preocupação com a vida dos professores dispensados, muitos deles dependentes somente do salário do SESC. Professores que, agora, não terão mais tempo de conseguir novo emprego. O SESC realmente ainda pensa no SOCIAL?

Por isso, o Sinpro-Rio vem a público denunciar, após a mudança de direção do SESC NACIONAL, a nova forma da instituição negociar com o Sinpro-Rio e com os seus trabalhadores, ou seja, não mantendo a palavra dada em mesas de negociação.  O Sinpro-Rio irá à Justiça para defender os professores que foram abandonados pelo Sesc Nacional, cobrará a indenização não paga e também outras que, de forma igualmente inédita, a nova direção não está quitando com os docentes dispensados. Vale ressaltar que tal atitude está ocorrendo no Departamento Nacional no Rio de Janeiro e noutros estados. Um projeto nefasto para descaracterizar a instituição, precarizar o seu Ensino Médio e a Educação dos jovens envolvidos.

O Sinpro-Rio se junta à luta dos alunos, professores e comunidade escolar por uma escola justa, pública, laica e de qualidade e que pague aos seus trabalhadores salários dignos, direitos trabalhistas e acordos.

Estamos juntos nesta luta.