Comissão manifesta solidariedade aos profs. da Ed. Infantil

Notícias
Comissão manifesta solidariedade aos profs. da Ed. Infantil

A Comissão de Educação Infantil do Sinpro-Rio vem expressar total apoio e solidariedade à categoria, em especial, às professoras/es da Educação Infantil.
Somos professoras/es, assim como vocês, por isso, conhecemos muito bem, e de perto, os desafios específicos da nossa área de atuação, como:

  • as limitações pedagógicas do contato on-line, por ser uma ferramenta inadequada para a faixa etária, não permitindo que o nosso trabalho aconteça da forma como orientam os documentos de educação infantil, tendo como eixo a interação e a brincadeira. Sabemos, também, que o uso da tela para crianças não deve exceder a 1 hora por dia, conforme orientação da Sociedade Brasileira de Pediatria.
  • vivemos, diariamente, relações de muitas tensões trabalhistas, com ameaças de demissões a cada trancamento de matrícula e/ou fechamento das escolas.
    Sem dúvida, este cenário de dores, medos e dívidas tem nos tirado o sono e nos causado inúmeras ansiedades, pois mexem bastante com o nosso emocional.
    Desde que começou a pandemia, não paramos de trabalhar um minuto! Muitas vezes excedendo nosso tempo de trabalho.
    Mesmo diante de perdas e dificuldades, nós, professoras/es, sempre estivemos presentes, atendendo nossas crianças em suas individualidades, de forma sensível, cuidadosa e pedagógica.
    Sabemos que o aprendizado na Educação Infantil continuaria prejudicado, mesmo num futuro retorno à escola, pois a interação e a brincadeira, a troca, a partilha, a relação com o outro, a expressão com o corpo inteiro não aconteceriam, pois todos os protocolos não são favoráveis a esse tipo de trabalho, não atendendo às especificidades do nosso segmento. A Educação Infantil ficaria reduzida a um papel assistencialista.
    À Educação Infantil compete trabalhar na e com a relação, e com a subjetividade de nossas crianças!
    Nós, professoras/es da Educação Infantil, precisamos estar juntas/os na afirmativa de que só a ciência poderá nos orientar o momento certo do retorno à escola, sem colocar em risco a comunidade escolar. Não podemos compactuar com uma volta prematura, nos sentindo pressionadas/os pelo argumento do risco de fechamento das escolas. Essa decisão não está ao nosso alcance. Nossas vidas não podem estar à mercê do lucro ou do patrimônio! Educação não é mercadoria!
    Juntas/os, precisamos enfrentar a pressão do patronato. O governo não assume suas responsabilidades com políticas que assegurem o funcionamento das pequenas e médias escolas particulares, nesta pandemia, e a culpa por essa omissão não pode recair sobre a categoria que tem o direito de lutar pela preservação de sua saúde e de sua vida, no ambiente de trabalho, bem como a de suas famílias, vizinhos e de toda a comunidade escolar.
    O trancamento das matrículas e fechamento das escolas durante a pandemia não é de responsabilidade dos professores e professoras, mas de uma grande falta de planejamento do governo.
    É por isso que dizemos, com muita segurança: NÃO ao retorno presencial nas escolas, agora!
    Em defesa da vida!
    A economia se recupera, mas a vida jamais!

Comissão de Educação Infantil do Sinpro-Rio