Demissão de professor da Escola Parque

Sem categoria

O Sinpro-Rio vem a público lamentar a demissão do professor de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira Oswaldo Martins Teixeira, da Escola Parque, e repudiar qualquer cerceamento à liberdade de expressão e de autoria pedagógica. Tomamos conhecimento da demissão através da mídia. O episódio causou preocupações, devido à exposição do professor e das possíveis conseqüências em sua vida profissional. Esclarecemos que o professor, que é sindicalizado, não solicitou apoio nem os serviços jurídicos do Sindicato. Mesmo assim, o Sinpro-Rio tentou entrar em contato com o educador para prestar solidariedade e apoio. Diante do constrangimento público, que consideramos lamentável, também enviamos um ofício para instituição solicitando explicações sobre o caso.

A Diretoria
Veja abaixo a carta enviada para Escola Parque na íntegra:

"Prezados senhores, Tomamos conhecimento pela grande imprensa e também através de muitos de nossos associados da demissão, em 11 de setembro, do professor de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira Oswaldo Martins Teixeira. A grande repercussão deste fato na mídia nos causou preocupações, devido à grande exposição do professor e das possíveis conseqüências em sua vida profissional. A nosso ver, tal situação se constitui em um grande constrangimento público, não só ao professor em questão, mas, de modo geral, aos demais docentes da casa, o que poderia provocar, inclusive, dano à imagem profissional do professor e, por conseguinte, de seus colegas. Não podemos também ignorar que, no bojo dessa situação, encontra-se a questão da censura a livros e autores, bem como um possível cerceamento da autoria pedagógica, tão cara a formação plural que se exige de uma educação democrática e libertária. Neste sentido e contando com a história de vanguarda deste educandário, a Diretoria do Sindicato dos Professores (Sinpro-Rio) solicita dos Srs. um esclarecimento sobre o ocorrido e, se possível, um posicionamento público de apoio à imagem do profissional em questão.

Certos de sua atenção, aguardamos sua resposta.
Wanderley Quêdo
Presidente do Sinpro-Rio"