Escola SESC BARRA: deliberações da assembleia

Notícias


Escola SESC BARRA: deliberações da assembleia

Por conta de uma "mudança no plano de negócios" proposta pela Direção Nacional do SESC, a Escola Sesc de Ensino Médio está executando um processo demissional de seus professores e professoras, o que fez com que o Sinpro-Rio convocasse a categoria docente para assembleia.

Já foi apresentada à direção da instituição a pauta de reivindicações da categoria, que não foi atendida nem debatida, de forma objetiva, em mesa de negociação do sindicato com a  instituição. Os/as professores/as já estão com suas atividades pedagógicas suspensas, por deliberação da assembleia, e decidiram que continuarão assim até obterem uma resposta clara do SESC sobre o processo demissionário e sobre a existência futura da instituição.

Sendo assim, os professores/as decidiram manter a suspensão das atividades até o próximo dia 10/dez, quando realizarão nova assembleia.

A categoria também aprovou na assembleia de hoje, 07/dez, a divulgação de uma carta construída pelo corpo docente da ESEM para a sociedade, denunciando o momento que passa a instituição e sua importância para o país.

Carta aberta à sociedade:
Denúncia em defesa do projeto Escola Sesc de Ensino Médio.

Rio de Janeiro, 01 de dezembro de 2021.


Era uma vez um sonho. Ousamos sonhar juntos. Um sonho para jovens de todo o Brasil receberem uma educação de qualidade, humanista, que os preparasse para o mundo do trabalho e para sua formação enquanto cidadãos e sujeitos sensíveis, críticos e reflexivos. Como foi possível?
Tudo começou em fevereiro de 2008 com a inauguração da Escola Sesc de Ensino Médio, escola nacional, situada na cidade do Rio de Janeiro. Nascia uma escola, nascia um projeto ambicioso da Confederação Nacional do Comércio de Bens e Serviços e Turismo (CNC) e do Conselho Nacional do Serviço Social do Comércio (Sesc).
A missão da escola é educar jovens brasileiros para autonomia intelectual, criatividade e compromisso social. Da missão à ação, esse projeto dialoga com os valores e princípios institucionais do Sesc: ética, responsabilidade, transparência, excelência, ação educativa transformadora, sustentabilidade, respeito à diversidade e inovação.
O projeto aposta na potência da educação como um caminho para a transformação da vida de jovens oriundos de camadas sociais vulneráveis de todas as unidades federativas, com o apoio de todos os departamentos regionais do Sesc.
Depois de quatorze anos de resultados extraordinários sobejamente divulgados e atestados pelos alunos desta instituição, hoje profissionais de sucesso e potentes cidadãos, transformadores da sociedade, espalhados por todo o mundo, o projeto corre o risco de chegar ao fim.
O corpo docente comprometido e qualificado, que ao longo dos anos concretizou o sonho de uma escola de excelência, contribuiu significativamente para o sucesso demonstrado por indicadores acadêmicos nacionais e internacionais.
No entanto, um novo modelo de escola impõe-se de forma unilateral, interrompendo, abruptamente, o caráter nacional do projeto. Em consequência das mudanças desse “novo modelo de negócio”, que considera a educação na lógica economicista, iniciou-se um processo de demissão em massa de professores, de forma desrespeitosa e antiética, interferindo, inclusive, nas atividades pedagógicas em curso.
Como professores que construíram esse projeto, com o capital cultural investido em cada um de nós e com reconhecida qualificação acadêmica e pedagógica, somos profissionais preparados para implementar eventuais mudanças que se fizerem necessárias. Sobretudo as que visem à ampliação do alcance social das ações da Escola Sesc de Ensino Médio. Assim, lamentamos profundamente que tenhamos sido excluídos do processo de reflexão acerca dos rumos a serem tomados.
Continuamos, apesar de tudo, abertos ao diálogo franco e transparente e dispostos a contribuir para as transformações exigidas pelo atual momento. Reiteramos a confiança no Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro e Região (Sinpro-Rio) na mediação das negociações trabalhistas na tentativa de reverter as demissões já
ocorridas e evitar as futuras.
Denunciamos que vivemos um cenário sombrio, em que o processo de demissão em curso sinaliza um desmonte desse projeto nacional, tão necessário a tantos outros jovens brasileiros que também precisam de uma oportunidade para viver o mesmo sonho. Fica evidente, portanto, o apagamento da memória de uma escola de excelência da qual temos orgulho de fazer parte.
Diante da importância da manutenção de projetos educacionais deste porte, de tamanho impacto social em nível nacional, convocamos a sociedade para o apoio na divulgação desta denúncia no sentido de evitar o trágico desfecho que se desenha.

#esemresiste