Gama Filho (UGF) e UniverCidade demitem e não marcam homologação

Notícias

02/01/2012

O Sinpro-Rio teve ciência de que inúmeros professores da Gama Filho e da UniverCidade, estabelecimentos de ensino adquiridos recentemente pelo grupo Galileo, foram comunicados das rescisões dos seus contratos de trabalho.

Esses professores, embora comunicados da dispensa, NÃO foram informados, pelas referidas Instituições, das datas das homologações das suas rescisões de contratos e pagamento das respectivas verbas rescisórias.

A ausência de designação de data para a homologação das rescisões dos contratos de trabalho, por parte das Instituições, importará no fato de que os professores NÃO receberão as suas verbas rescisórias e NÃO poderão sacar, de forma imediata, os valores depositados em suas contas vinculadas ao FGTS.

O Sindicato repudia a postura do grupo Galileo que, recentemente, adquiriu as duas Instituições e reproduz velhos modelos ao não cumprir as obrigações trabalhistas básicas, como, por exemplo, ainda não ter quitado o 13º salário de 2011 devido aos professores, promovendo a dispensa de inúmeros docentes, sem informá-los sequer da data da homologação da rescisão contratual.

Trata-se de um evidente desrespeito com os profissionais; muitos deles, inclusive, tendo trabalhado parte significativa de suas vidas naquelas IES privadas.

Tão logo termine o recesso do Judiciário, além de outras ações políticas, o Sinpro-Rio adotará medidas judiciais coletivas cabíveis contra a Gama Filho, a UniverCidade e o grupo Galileo.

Professor(a), para a concretização dessas ações, é fundamental o contato imediato com o Sindicato, através do seu Departamento Jurídico.

Esses professores, embora comunicados da dispensa, NÃO foram informados, pelas referidas Instituições, das datas das homologações das suas rescisões de contratos e pagamento das respectivas verbas rescisórias.

A ausência de designação de data para a homologação das rescisões dos contratos de trabalho, por parte das Instituições, importará no fato de que os professores NÃO receberão as suas verbas rescisórias e NÃO poderão sacar, de forma imediata, os valores depositados em suas contas vinculadas ao FGTS.

O Sindicato repudia a postura do grupo Galileo que, recentemente, adquiriu as duas Instituições e reproduz velhos modelos ao não cumprir as obrigações trabalhistas básicas, como, por exemplo, ainda não ter quitado o 13º salário de 2011 devido aos professores, promovendo a dispensa de inúmeros docentes, sem informá-los sequer da data da homologação da rescisão contratual.

Trata-se de um evidente desrespeito com os profissionais; muitos deles, inclusive, tendo trabalhado parte significativa de suas vidas naquelas IES privadas.

Tão logo termine o recesso do Judiciário, além de outras ações políticas, o Sinpro-Rio adotará medidas judiciais coletivas cabíveis contra a Gama Filho, a UniverCidade e o grupo Galileo.

Professor(a), para a concretização dessas ações, é fundamental o contato imediato com o Sindicato, através do seu Departamento Jurídico.

A ausência de designação de data para a homologação das rescisões dos contratos de trabalho, por parte das Instituições, importará no fato de que os professores NÃO receberão as suas verbas rescisórias e NÃO poderão sacar, de forma imediata, os valores depositados em suas contas vinculadas ao FGTS.

O Sindicato repudia a postura do grupo Galileo que, recentemente, adquiriu as duas Instituições e reproduz velhos modelos ao não cumprir as obrigações trabalhistas básicas, como, por exemplo, ainda não ter quitado o 13º salário de 2011 devido aos professores, promovendo a dispensa de inúmeros docentes, sem informá-los sequer da data da homologação da rescisão contratual.

Trata-se de um evidente desrespeito com os profissionais; muitos deles, inclusive, tendo trabalhado parte significativa de suas vidas naquelas IES privadas.

Tão logo termine o recesso do Judiciário, além de outras ações políticas, o Sinpro-Rio adotará medidas judiciais coletivas cabíveis contra a Gama Filho, a UniverCidade e o grupo Galileo.

Professor(a), para a concretização dessas ações, é fundamental o contato imediato com o Sindicato, através do seu Departamento Jurídico.

O Sindicato repudia a postura do grupo Galileo que, recentemente, adquiriu as duas Instituições e reproduz velhos modelos ao não cumprir as obrigações trabalhistas básicas, como, por exemplo, ainda não ter quitado o 13º salário de 2011 devido aos professores, promovendo a dispensa de inúmeros docentes, sem informá-los sequer da data da homologação da rescisão contratual.

Trata-se de um evidente desrespeito com os profissionais; muitos deles, inclusive, tendo trabalhado parte significativa de suas vidas naquelas IES privadas.

Tão logo termine o recesso do Judiciário, além de outras ações políticas, o Sinpro-Rio adotará medidas judiciais coletivas cabíveis contra a Gama Filho, a UniverCidade e o grupo Galileo.

Professor(a), para a concretização dessas ações, é fundamental o contato imediato com o Sindicato, através do seu Departamento Jurídico.

Trata-se de um evidente desrespeito com os profissionais; muitos deles, inclusive, tendo trabalhado parte significativa de suas vidas naquelas IES privadas.

Tão logo termine o recesso do Judiciário, além de outras ações políticas, o Sinpro-Rio adotará medidas judiciais coletivas cabíveis contra a Gama Filho, a UniverCidade e o grupo Galileo.

Professor(a), para a concretização dessas ações, é fundamental o contato imediato com o Sindicato, através do seu Departamento Jurídico.

Tão logo termine o recesso do Judiciário, além de outras ações políticas, o Sinpro-Rio adotará medidas judiciais coletivas cabíveis contra a Gama Filho, a UniverCidade e o grupo Galileo.

Professor(a), para a concretização dessas ações, é fundamental o contato imediato com o Sindicato, através do seu Departamento Jurídico.

Professor(a), para a concretização dessas ações, é fundamental o contato imediato com o Sindicato, através do seu Departamento Jurídico.