Google retifica verbete “professora” após notificação extrajudicial do Sinpro-Rio

Destaque na primeira pagina, Notícias

O Sinpro-Rio obteve importante vitória junto ao Google. A empresa de mídia da Internet vinha mantendo em sua ferramenta de busca, no dicionário, definição pejorativa em relação às professoras.

Ao buscar o significado da palavra "professora", o dicionário apresentava, além da definição usual, “mulher que ensina ou exerce o professorado”, o Google também publicava que, em razão do “brasileirismo”, professora era também definida como “prostituta com quem adolescentes se iniciam na vida sexual.”

Notificada extrajudicialmente pelo Sinpro-Rio, a empresa retirou os termos pejorativos, ficando somente a primeira definição. Vejam as imagens do verbete antes e depois de retificado na foto abaixo:

Aqui, nota de repúdio elaborada pelo Sinpro-Rio em 22/10:

NOTA DE REPÚDIO

O Sinpro-Rio vem a público repudiar o que está grafado na ferramenta de busca do Google sobre o significado da palavra professora.

Ao realizarmos a busca para o significado da palavra professora no Google, além do que é natural, “mulher que ensina ou exerce o professorado”, é estarrecedor o que vem descrito em seguida, sob o argumento de “brasileirismo-Brasil” o Google traz: “prostituta com quem adolescentes se iniciam na vida sexual.”

Num momento em que a Educação brasileira é violentamente atacada, vilipendiada de todas as maneiras na esfera dos executivos municipais, estaduais e federais, esta atitude, agora vindo de um órgão de informação, nos deixa mais indignados ainda, sabedores de que não há nenhuma similaridade no linguajar do brasileiro a respeito desta esdrúxula afirmação.

É, portanto, com muita indignação que o Sinpro-Rio tomará as medidas cabíveis contra a inveracidade desta informação.