Inauguração de Campo Grande

Notícias

O Sinpro-Rio inaugurou no dia 29 de fevereiro sua nova subsede em Campo Grande. O endereço continua o mesmo, mas a antiga casa, que abrigava a categoria, deu lugar a um novo prédio com dois andares, sendo o primeiro destinado à parte siteistrativa e o segundo, às instalações da Escola do Professor.

Na solenidade, iniciada às 20h, o presidente do Sinpro-Rio cortou a fita, descerrou a placa de inauguração e fez duas homenagens: a primeira, ao professor Joacy dos Santos, atual diretor do Sindicato, que ganhou uma sala (de reuniões) com seu nome. Joacy foi um dos professores que muito contribuiu para organização sindical na Zona Oeste.

A segunda homenagem foi feita no auditório da nova subsede, que leva o nome do ex-presidente do Sinpro-Rio, professor José Monrevi, por toda sua luta em defesa dos professores com ênfase na Zona Oeste, que era uma área sem uma organização sindical.

Após o ato de inauguração, foi exibido um vídeo com todas as etapas da obra, desde a demolição até o acabamento das novas instalações?. A mesa da solenidade foi composta pelos professores Francilio Paes Leme, atual presidente do Sinpro-Rio; José Monrevi; 1º secretário; Adeilson Telles, 1º secretário da CUT nacional; e Dilson Ribeiro, diretor do Sindicato.

Em seu discurso, o professor Adeilson Telles parabenizou o Sindicato e ofereceu o apoio da CUT nacional e a estadual, como forma de parceria para todos os desafios do Sinpro-Rio. E, com isso, manter a política que vem sendo feita em defesa dos professores. "Esse núcleo de pessoas que combina experiência e inovação precisa dar continuidade a esse trabalho", afirmou Adeilson. Segundo o professor, um Sindicato forte só tem a beneficiar a luta dos trabalhadores.

Francilio discursou sobre o passado e presente do Sindicato e ressaltou a emoção de inaugurar essa nova subsede ao lado de uma figura tão importante para a história do Sinpro-Rio, o professor José Monrevi. "Conheci o Monrevi em 77. Em 78, ele saiu da direção do Sindicato e formamos uma chapa de oposição e fomos vencedores."

Francilio também homenageou Joacy, que, junto com o outro homenageado, idealizou a subsede de Campo Grande: "lembro-me bem de caminhar pelo bairro com o Monrevi e o Joacy, atrás de um imóvel para abrigar uma delegacia do Sindicato no bairro". Segundo o presidente, a primeira subsede foi inaugurada em 13 de setembro de 1980, na mesma época que conheceu o professor Dilson, atual representante da unidade de Campo Grande. "Em agosto de 1991 adquirimos a casa na rua Manaí e a nova subsede foi inaugurada em 1992", contou Francilio.

O presidente afirmou que o Sindicato, em sua história, esteve muito preso à Zona Sul, mas com a subsede de Campo Grande ele passou a ser um Sindicato de todos. Sobre as críticas em torno da construção da subsede de Madureira e a reforma em Campo Grande, Francilio fez um paralelo: ?Existe sempre uma crítica neste país a quem quer favorecer regiões mais necessitadas. Porque o sindicato deve ficar restrito à Zona Sul??

Por último, Francilio ressaltou a importância do vice-presidente Antonio Rodrigues que, para ele, foi o elo entre a sede do Centro e a subsede recém-reformada: "O Antonio, duas vezes, por semana vinha do Centro para cá criando um vínculo entre as sedes e transformando o Sindicato em um coisa só".

Após o discurso de Francilio, o ex-presidente José Monrevi ressaltou que as homenagens da solenidade não fossem tão pessoais: "São tantas pessoas envolvidas nesta subsede que não daria nem para citar".

Ele também contou que, graças ao trabalho de base feito na Zona Oeste, o Sindicato ficou famoso. "Uma vez recebemos uma denúncia de irregularidade numa escola em Santa Cruz. Fomos lá, voltamos presos, e ganhamos as páginas do jornal", afirmou o professor.

O 1º secretário Wanderley Quêdo iniciou seu discurso citando um pensamento do Padre Antônio Vieira, no qual diferencia aqueles que fazem daquele que levam o nome. Segundo Wanderley, este pensamento sintetiza o que vem ocorrendo no Sinpro-Rio nos últimos anos. "Além das palavras e das idéias, as ações do Sindicato se fizeram presente de forma contundente no nosso quoditiano", concluiu Quêdo.

Durante sua fala, que encerrou a solenidade, Wanderley contou da emoção de estar de volta ao Sindicato numa diretoria que fez uma renovação em todos os sentidos. "Essa diretoria, à qual eu voltei, fez uma reforma siteistrativa, física e uma estruturação política. Não só com abertura da subsede de Madureira e esta bela sede aqui, mas principalmente dando condições a todos nós diretores de podermos fazer o nosso trabalho", afirmou o professor Wanderley.

O professor também concluiu em seu discurso que essa atual diretoria apoiou um sonho de recuperar e organizar o arquivo do Sinpro. Segundo Quêdo, antes desse trabalho de recuperação, que teve a sua coordenação, o material estava totalmente largado. "Hoje, 60% do arquivo foi recuperado, microfilmado, digitalizado e está sendo preparado para ser consultado on-line pela categoria", explicou.

Em clima de confraternização, após os discursos, os 290 presentes, entre professores e militantes do movimento social, participaram de um animado coquetel com música ao vivo.

A nova subsede continua oferecendo à categoria, agora com mais conforto, todos os serviços do Sindicato: orientações aos professores, assistência jurídica, cursos elaborados pela Escola do Professor, atividades culturais, pedagógicas e de lazer, além de um auditório e salas de aula para reuniões, assembléias e seminários. Ao entregar este novo espaço para os professores da Zona Oeste, a diretoria do Sinpro-Rio cumpre mais uma promessa assumida com a categoria, nas eleições da gestão 2005/2008, e conclui, assim, o grande projeto de reforma siteistrativa e política, iniciado em 2006.

Veja as fotos do evento!