Normalistas do Iserj estão sem aulas até hoje

Sem categoria

O atraso no início do segundo semestre letivo, que só começou na semana passada por causa das greves, é hoje o menor dos problemas para os 450 normalistas do Instituto Superior de Educação (Iserj), na Tijuca. Um impasse entre a direção e professores está deixando pelo menos metade dos estudantes sem aulas. Um grupo de alunas do Centro Acadêmico fez um protesto ontem: segundo elas, enquanto há salas vazias, docentes disponíveis não são aproveitados na unidade.

A causa da polêmica é a substituição dos professores que dão aulas no curso normal superior desde 99. Eles foram trocados por novos concursados, que começaram a chegar no início do ano letivo. A direção optou por retirar os docentes que implementaram o curso, mas até agora não conseguiu fechar as grades de horário.

A direção estima que metade dos alunos esteja sem aulas, já o Centro Acadêmico fala em pelo menos 70%. Segundo o diretor do Iserj, Ubiratan Castro Vianna, até o início da semana que vem 95% dos alunos já devem ter aulas apenas com os novos concursados. Já os 30 professores que implementaram o curso em 1999 reclamam que estão sem trabalhar enquanto os alunos estão sem aulas.

Rubem Berta (Jornal O Globo - 11/10/2005)