Nota de Solidariedade aos servidores da rede estadual

Notícias

28/12/2015

O Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro e Região (Sinpro-Rio) vem repudiar a forma inconsequente pela qual o governo do Estado do Rio de Janeiro vem siteistrando as áreas sociais do estado, em especial a saúde pública, e o parcelamento dos salários dos servidores.

O parcelamento dos salários e o empréstimo bancário do 13º dos servidores se constituem numa flagrante agressão aos direitos trabalhistas, bem como contribuem para corroer os direitos trabalhistas da iniciativa privada.

O Sinpro-Rio manifesta toda solidariedade aos sindicatos representativos dos servidores do estado, em particular, ao Sepe-RJ e o Sindpefaetec.

O Sindicato entende que a atual crise é resultado do processo de privatização, principalmente da saúde, com a terceirização e a entrega das Upas e hospitais nas mãos das chamadas “organizações sociais”, órgãos de fachada para um processo vil de privatização dos serviços públicos.

- Não à privatização dos serviços públicos!

- Não ao fechamento de hospitais e postos de saúde!

- Solidariedade às lutas dos servidores do estado do Rio de Janeiro!

O parcelamento dos salários e o empréstimo bancário do 13º dos servidores se constituem numa flagrante agressão aos direitos trabalhistas, bem como contribuem para corroer os direitos trabalhistas da iniciativa privada.

O Sinpro-Rio manifesta toda solidariedade aos sindicatos representativos dos servidores do estado, em particular, ao Sepe-RJ e o Sindpefaetec.

O Sindicato entende que a atual crise é resultado do processo de privatização, principalmente da saúde, com a terceirização e a entrega das Upas e hospitais nas mãos das chamadas “organizações sociais”, órgãos de fachada para um processo vil de privatização dos serviços públicos.

- Não à privatização dos serviços públicos!

- Não ao fechamento de hospitais e postos de saúde!

- Solidariedade às lutas dos servidores do estado do Rio de Janeiro!

O Sinpro-Rio manifesta toda solidariedade aos sindicatos representativos dos servidores do estado, em particular, ao Sepe-RJ e o Sindpefaetec.

O Sindicato entende que a atual crise é resultado do processo de privatização, principalmente da saúde, com a terceirização e a entrega das Upas e hospitais nas mãos das chamadas “organizações sociais”, órgãos de fachada para um processo vil de privatização dos serviços públicos.

- Não à privatização dos serviços públicos!

- Não ao fechamento de hospitais e postos de saúde!

- Solidariedade às lutas dos servidores do estado do Rio de Janeiro!

O Sindicato entende que a atual crise é resultado do processo de privatização, principalmente da saúde, com a terceirização e a entrega das Upas e hospitais nas mãos das chamadas “organizações sociais”, órgãos de fachada para um processo vil de privatização dos serviços públicos.

- Não à privatização dos serviços públicos!

- Não ao fechamento de hospitais e postos de saúde!

- Solidariedade às lutas dos servidores do estado do Rio de Janeiro!

- Não à privatização dos serviços públicos!

- Não ao fechamento de hospitais e postos de saúde!

- Solidariedade às lutas dos servidores do estado do Rio de Janeiro!

- Não ao fechamento de hospitais e postos de saúde!

- Solidariedade às lutas dos servidores do estado do Rio de Janeiro!

- Solidariedade às lutas dos servidores do estado do Rio de Janeiro!