Palestra na Copap ensina professores/as como lidar com as decorrências físicas e mentais do exercício do magistério

No dia 09 de setembro, a Copap apresentou a palestra “Amenizando as decorrências físicas e mentais da vivência do magistério”, com a fisioterapeuta Juliana Cristina.

Juliana abordou a rotina de trabalho dos professores e professoras. “A rotina exaustiva dos professores é um fato conhecido de longa data. Três ou quatro jornadas de trabalho DIÁRIAS, com intervalos insuficientes para o descanso (inclusive mental), alimentação inadequada, materiais e suportes gerais NECESSÁRIOS para o desempenho das funções trabalhistas muitas vezes inexistentes, enfim… condições vergonhosamente adversas para uma classe de importância vital como essa”, destacou.

Segundo a fisioterapeuta, as disfonias e os distúrbios vocais estão entre as mais conhecidas disfunções pelas quais os docentes são acometidos. Além destas, que são cuidadas mais especificamente pela fonoaudiologia, temos abaixo exemplos de SINTOMAS/patologias que podem ser tratadas/amenizadas por meio da fisioterapia, utilizando, por exemplo, técnicas do pilates como as que seguem listadas ao final do texto. E, tendo em vista estas reflexões acima, a fisioterapeuta selecionou algumas posturas do pilates clássico e ensinou aos presentes, realizando-as no aparelho bola suíça, em solo, a fim de promover melhorias nas atividades laborativas e de vida diária dos docentes.

Também gostaria de participar das atividades da Copap? Informe-se pelo site do Sinpro-Rio ou pelos telefones (21) 3262-3471, 3262-3425, 3262-3426.

Veja fotos da atividade AQUI!

<- Voltar