14/10/2014

Como fez com Vargas, na década de 50, e com João Goulart, no início dos anos 60, a “grande” mídia tenta criar uma crise no Brasil. Uma crise que é mundial
e que o nosso país, mesmo com um crescimento abaixo do esperado, conseguiu suplantar, mantendo o emprego dos nossos trabalhadores, com o mais baixo índice de
desemprego das últimas décadas, mantendo, inclusive, investimentos sociais – coisa que a Europa e os Estados Unidos não conseguiram – o que incomoda as forças
elitistas que sempre defenderam a privatização de nossas empresas estratégicas e que sempre favoreceram sem limitações o capital internacional voraz.

Os ataques dessa mídia à presidenta Dilma e ao PT se intensificaram quando o então presidente Lula defendeu os interesses nacionais e regulamentou a
exploração do petróleo, destinando 70% dos royalts do cobiçado pré-sal à educação. Na verdade, tais ataques são uma tentativa desesperada dessa direita
“brasileira” de criar uma atmosfera propícia a sua volta ao poder, para que, novamente, tente privatizar a Petrobrás (que o Governo FHC denominou Petrobrax,
para torná-la palatável ao mercado internacional), além de flexibilizar os nossos direitos trabalhistas e fechar os olhos para a destruição das nossas
reservas naturais pelos inescrupulosos agro negociantes.

Entendermos que, nesse momento, devemos votar no projeto vigente de um Brasil soberano que tirou milhões de brasileiros da miséria, dinamizou a indústria
naval, possibilitou o ingresso do filho do trabalhador na universidade, deu poder de compra ao salário mínimo, dando ao pobre o direito de frequentar os
shoppings e os aeroportos, territórios antes restritos às elites. É também o governo que investiu nas estradas, portos e aeroportos, na mobilidade urbana, na
habitação popular, com o bem sucedido Minha Casa Minha Vida, na agricultura familiar e na saúde do homem do interior do Brasil, com o projeto Mais de 10.000
Médicos. Governo que criou 18 universidades e 422 escolas técnicas com o PRONATEC, isso sem falar no PROUNI, no REUNI e ENADE, dedicando à Educação 10% do PIB.

Por tudo isso, professores(as), não vemos outro nome, se não o de Dilma Roussef, para seguir na construção de uma verdadeira democracia participativa –
iniciada no governo do operário Luís Inácio Lula da Silva, que protagonizou a maior revolução democrática e pacífica do Brasil – ouvindo os movimentos
populares, aliando-se aos que defendem a paz, a fraternidade, a vida e o respeito irrestrito a TODOS os brasileiros e brasileiras.

Assinam esse texto:

HELIO MAIA

ELSON PAIVA

GUSTAVO CORNÉLIO

DILSON RIBEIRO

ARNALDO BORBA

MARCIO FRANCO

MARCELO PEREIRA

MARCOS ALEXANDRE

DEYSE COUTINHO

JOÃO PAULO CHAVES

MARINA ESPÍRITO SANTO

AFONSO CELSO

OSWALDO TELES

MARIO MATURO

TULIO PAOLINO

ADALGIZA BURITY

LEILA AZEVEDO

FÁTIMA RODRIGUES DA SILVA

LUIZ HENRIQUE R. BANDEIRA

PATRICIA DETULIO

JAYRAM UCHÔA

ANTONIO RODRIGUES

YARA PEREIRA

ANTONIO CESAR PEREIRA

RICARDO CARVALHO DE FARIA

CARLOS ABSALÃO

Os ataques dessa mídia à presidenta Dilma e ao PT se intensificaram quando o então presidente Lula defendeu os interesses nacionais e regulamentou a
exploração do petróleo, destinando 70% dos royalts do cobiçado pré-sal à educação. Na verdade, tais ataques são uma tentativa desesperada dessa direita
“brasileira” de criar uma atmosfera propícia a sua volta ao poder, para que, novamente, tente privatizar a Petrobrás (que o Governo FHC denominou Petrobrax,
para torná-la palatável ao mercado internacional), além de flexibilizar os nossos direitos trabalhistas e fechar os olhos para a destruição das nossas
reservas naturais pelos inescrupulosos agro negociantes.

Entendermos que, nesse momento, devemos votar no projeto vigente de um Brasil soberano que tirou milhões de brasileiros da miséria, dinamizou a indústria
naval, possibilitou o ingresso do filho do trabalhador na universidade, deu poder de compra ao salário mínimo, dando ao pobre o direito de frequentar os
shoppings e os aeroportos, territórios antes restritos às elites. É também o governo que investiu nas estradas, portos e aeroportos, na mobilidade urbana, na
habitação popular, com o bem sucedido Minha Casa Minha Vida, na agricultura familiar e na saúde do homem do interior do Brasil, com o projeto Mais de 10.000
Médicos. Governo que criou 18 universidades e 422 escolas técnicas com o PRONATEC, isso sem falar no PROUNI, no REUNI e ENADE, dedicando à Educação 10% do PIB.

Por tudo isso, professores(as), não vemos outro nome, se não o de Dilma Roussef, para seguir na construção de uma verdadeira democracia participativa –
iniciada no governo do operário Luís Inácio Lula da Silva, que protagonizou a maior revolução democrática e pacífica do Brasil – ouvindo os movimentos
populares, aliando-se aos que defendem a paz, a fraternidade, a vida e o respeito irrestrito a TODOS os brasileiros e brasileiras.

Assinam esse texto:

HELIO MAIA

ELSON PAIVA

GUSTAVO CORNÉLIO

DILSON RIBEIRO

ARNALDO BORBA

MARCIO FRANCO

MARCELO PEREIRA

MARCOS ALEXANDRE

DEYSE COUTINHO

JOÃO PAULO CHAVES

MARINA ESPÍRITO SANTO

AFONSO CELSO

OSWALDO TELES

MARIO MATURO

TULIO PAOLINO

ADALGIZA BURITY

LEILA AZEVEDO

FÁTIMA RODRIGUES DA SILVA

LUIZ HENRIQUE R. BANDEIRA

PATRICIA DETULIO

JAYRAM UCHÔA

ANTONIO RODRIGUES

YARA PEREIRA

ANTONIO CESAR PEREIRA

RICARDO CARVALHO DE FARIA

CARLOS ABSALÃO

Entendermos que, nesse momento, devemos votar no projeto vigente de um Brasil soberano que tirou milhões de brasileiros da miséria, dinamizou a indústria
naval, possibilitou o ingresso do filho do trabalhador na universidade, deu poder de compra ao salário mínimo, dando ao pobre o direito de frequentar os
shoppings e os aeroportos, territórios antes restritos às elites. É também o governo que investiu nas estradas, portos e aeroportos, na mobilidade urbana, na
habitação popular, com o bem sucedido Minha Casa Minha Vida, na agricultura familiar e na saúde do homem do interior do Brasil, com o projeto Mais de 10.000
Médicos. Governo que criou 18 universidades e 422 escolas técnicas com o PRONATEC, isso sem falar no PROUNI, no REUNI e ENADE, dedicando à Educação 10% do PIB.

Por tudo isso, professores(as), não vemos outro nome, se não o de Dilma Roussef, para seguir na construção de uma verdadeira democracia participativa –
iniciada no governo do operário Luís Inácio Lula da Silva, que protagonizou a maior revolução democrática e pacífica do Brasil – ouvindo os movimentos
populares, aliando-se aos que defendem a paz, a fraternidade, a vida e o respeito irrestrito a TODOS os brasileiros e brasileiras.

Assinam esse texto:

HELIO MAIA

ELSON PAIVA

GUSTAVO CORNÉLIO

DILSON RIBEIRO

ARNALDO BORBA

MARCIO FRANCO

MARCELO PEREIRA

MARCOS ALEXANDRE

DEYSE COUTINHO

JOÃO PAULO CHAVES

MARINA ESPÍRITO SANTO

AFONSO CELSO

OSWALDO TELES

MARIO MATURO

TULIO PAOLINO

ADALGIZA BURITY

LEILA AZEVEDO

FÁTIMA RODRIGUES DA SILVA

LUIZ HENRIQUE R. BANDEIRA

PATRICIA DETULIO

JAYRAM UCHÔA

ANTONIO RODRIGUES

YARA PEREIRA

ANTONIO CESAR PEREIRA

RICARDO CARVALHO DE FARIA

CARLOS ABSALÃO

Por tudo isso, professores(as), não vemos outro nome, se não o de Dilma Roussef, para seguir na construção de uma verdadeira democracia participativa –
iniciada no governo do operário Luís Inácio Lula da Silva, que protagonizou a maior revolução democrática e pacífica do Brasil – ouvindo os movimentos
populares, aliando-se aos que defendem a paz, a fraternidade, a vida e o respeito irrestrito a TODOS os brasileiros e brasileiras.

Assinam esse texto:

HELIO MAIA

ELSON PAIVA

GUSTAVO CORNÉLIO

DILSON RIBEIRO

ARNALDO BORBA

MARCIO FRANCO

MARCELO PEREIRA

MARCOS ALEXANDRE

DEYSE COUTINHO

JOÃO PAULO CHAVES

MARINA ESPÍRITO SANTO

AFONSO CELSO

OSWALDO TELES

MARIO MATURO

TULIO PAOLINO

ADALGIZA BURITY

LEILA AZEVEDO

FÁTIMA RODRIGUES DA SILVA

LUIZ HENRIQUE R. BANDEIRA

PATRICIA DETULIO

JAYRAM UCHÔA

ANTONIO RODRIGUES

YARA PEREIRA

ANTONIO CESAR PEREIRA

RICARDO CARVALHO DE FARIA

CARLOS ABSALÃO

Assinam esse texto:

HELIO MAIA

ELSON PAIVA

GUSTAVO CORNÉLIO

DILSON RIBEIRO

ARNALDO BORBA

MARCIO FRANCO

MARCELO PEREIRA

MARCOS ALEXANDRE

DEYSE COUTINHO

JOÃO PAULO CHAVES

MARINA ESPÍRITO SANTO

AFONSO CELSO

OSWALDO TELES

MARIO MATURO

TULIO PAOLINO

ADALGIZA BURITY

LEILA AZEVEDO

FÁTIMA RODRIGUES DA SILVA

LUIZ HENRIQUE R. BANDEIRA

PATRICIA DETULIO

JAYRAM UCHÔA

ANTONIO RODRIGUES

YARA PEREIRA

ANTONIO CESAR PEREIRA

RICARDO CARVALHO DE FARIA

CARLOS ABSALÃO

<- Voltar