PUC-Rio abre as portas para a Campanha Saúde do Professor

Notícias

No último dia 7, a PUC-Rio realizou o debate Síndrome de Burnout em Professores: Identificação, Tratamento e Prevenção, tornando-se a primeira instituição a receber a campanha Saúde do Professor.

O evento teve início com o vice-reitor comunitário da universidade, professor Augusto Luiz Duarte Lopes Sampaio, que agradeceu a todos pela presença e pela oportunidade de debater sobre a qualidade de vida da categoria.

O presidente do Sinpro-Rio, Wanderley Quêdo, explicou que a Saúde do Professor se iniciou com a Campanha da Voz, quando foi constatado que 45% dos docentes tinham problemas vocais e que, na maioria das vezes, a causa era emocional. Assim, o Sinpro-Rio entendeu que era preciso cuidar não só da voz dos profissionais, mas também de sua saúde emocional, o que passa também pelas suas condições de trabalho.

Elaine Juncken e Sandra Korman falaram sobre a síndrome de Burnout, o cotidiano e as dificuldades da categoria, a mobilização dos professores e da sociedade, e como um projeto de vida profissional pode ajudar na autoestima.

A superintendente de recursos humanos da PUC-Rio, Marisa Moreira Espindola, falou sobre a preocupação da universidade com a saúde de todos os profissionais como uma prioridade do departamento de RH, que trabalha em conjunto com o serviço de Medicina Ocupacional, representado pelo Dr. Alvaro Rodrigues, que citou a dificuldade de se levar os professores ao consultório.

Após as explanações, o evento foi aberto ao debate, em que foram discutidos temas como o medo dos professores de irem ao médico do trabalho e descobrirem alguma doença; a mercantilização da educação; e a disponibilidade de lazer, esporte e alimentação para uma melhor qualidade de vida..