Resultado da Assembleia da Educação Superior

No sábado, dia 9 de maio, os professores da Educação Superior se reuniram em assembleia para debater os rumos das negociações da Campanha Salarial de 2009. Após os informes habituais, o primeiro-secretário do Sinpro-Rio, professor Marcelo Pereira, fez relato das negociações, que, até agora, não avançaram muito. O patronato continuou batendo na mesma posição em relação à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), mas aceitou discutir um reajuste, ao contrário da última proposta que a categoria teria que decidir entre: reajuste zero e a manutenção das claúsulas da CCT ou algum reajuste salarial e a profunda revisão da Convenção.

Durante a assembleia, vários docentes se manifestaram com intervenções duras, conclamando os companheiros para uma maior mobilização. Ao final do encontro, a categoria aprovou que a Diretoria do Sindicato continue as negociações sobre o reajuste, mas que sejam mantidas as cláusulas da CCT. Além disso, aprovaram a elaboração de um boletim para divulgar a revisão que o patronato deseja fazer na Convenção e também para cobrar uma maior mobilização nas principais instituições de Educação Superior com panfletagem e carro de som.

A próxima assembleia ficou marcada para o dia 23 de maio, às 14h, na sede do Sindicato.

Para ver fotos clique aqui

<- Voltar

No sábado, dia 9 de maio, os professores da Educação Superior se reuniram em assembleia para debater os rumos das negociações da Campanha Salarial de 2009. Após os informes habituais, o primeiro-secretário do Sinpro-Rio, professor Marcelo Pereira, fez relato das negociações, que, até agora, não avançaram muito. O patronato continuou batendo na mesma posição em relação à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), mas aceitou discutir um reajuste, ao contrário da última proposta que a categoria teria que decidir entre: reajuste zero e a manutenção das claúsulas da CCT ou algum reajuste salarial e a profunda revisão da Convenção.

Durante a assembleia, vários docentes se manifestaram com intervenções duras, conclamando os companheiros para uma maior mobilização. Ao final do encontro, a categoria aprovou que a Diretoria do Sindicato continue as negociações sobre o reajuste, mas que sejam mantidas as cláusulas da CCT. Além disso, aprovaram a elaboração de um boletim para divulgar a revisão que o patronato deseja fazer na Convenção e também para cobrar uma maior mobilização nas principais instituições de Educação Superior com panfletagem e carro de som.

A próxima assembleia ficou marcada para o dia 23 de maio, às 14h, na sede do Sindicato.

Para ver fotos clique aqui

<- Voltar

No dia 6 de setembro, os professores da Educação Superior aprovaram, em assembléia, a proposta de conciliação feita pela Desembargadora Drª Maria de Lourdes Sallaberry, na audiência realizada no dia 18 de junho, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) – 1ª Região.

Pela proposta, o reajuste salarial fica no valor do INPC (5,5%) retroativo a 1º de abril de 2008 e ficam mantidas todas as cláusulas sociais, com exceção da do adicional por tempo de serviço (ATS).

Segundo a proposta do TRT, o ATS fica suspenso até o dia 31 de março de 2009. Durante este período, o Sinpro-Rio e o Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimento de Ensino Superior (Semerj) devem organizar reuniões para chegar a um acordo sobre o futuro da cláusula.

Ainda pela proposta, se não houver consenso, o ATS volta a ser pago com vigência de dois anos.

O Sinpro-Rio já encaminhou ofício ao Semerj, no qual informa o resultado da assembléia e aguarda o parecer do sindicato patronal para minutar o acordo.

Veja aqui o hotsite da Educação Superior

<- Voltar

No dia 6 de setembro, os professores da Educação Superior aprovaram, em assembléia, a proposta de conciliação feita pela Desembargadora Drª Maria de Lourdes Sallaberry, na audiência realizada no dia 18 de junho, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) – 1ª Região.

Pela proposta, o reajuste salarial fica no valor do INPC (5,5%) retroativo a 1º de abril de 2008 e ficam mantidas todas as cláusulas sociais, com exceção da do adicional por tempo de serviço (ATS).

Segundo a proposta do TRT, o ATS fica suspenso até o dia 31 de março de 2009. Durante este período, o Sinpro-Rio e o Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimento de Ensino Superior (Semerj) devem organizar reuniões para chegar a um acordo sobre o futuro da cláusula.

Ainda pela proposta, se não houver consenso, o ATS volta a ser pago com vigência de dois anos.

O Sinpro-Rio já encaminhou ofício ao Semerj, no qual informa o resultado da assembléia e aguarda o parecer do sindicato patronal para minutar o acordo.

Veja aqui o hotsite da Educação Superior

<- Voltar