Reunião com os professores de Educação Física

Notícias

O Movimento Nacional Contra a Regulamentação convida os professores de Educação Física para participarem de reunião contra a obrigatoriedade de associação ao Conselho Regional de Educação Física (CREF), terça-feira, 28 de agosto, às 18 horas, no auditório do Sinpro-Rio, rua Pedro Lessa, 35, segundo andar.

Reunião com os professores de Educação Física

O Movimento Nacional Contra a Regulamentação convida os professores de Educação Física para participarem de reunião contra a obrigatoriedade de associação ao Conselho Regional de Educação Física (CREF), terça-feira, 28 de agosto, às 18 horas, no auditório do Sinpro-Rio, rua Pedro Lessa, 35, segundo andar.

?

voltar ao topo


Errata no Jornal do Professor: Edição nº 203

Na página 8, na matéria "Sinpro-Rio convoca a categoria para debater e traçar os novos rumos do Sindicato", no último parágrafo, onde se lê jornal O Globo, deveria estar impresso Jornal Extra. O mesmo vale para o primeiro parágrafo da página 9.

?

voltar ao topo


Nota: aos professores e à comunidade da Gama Filho

Depois dos longos anos de silêncio diante das irregularidades trabalhistas praticadas pela UGF, as mobilizações com assembléias em 2006, se não resultaram em grandes conquistas, pelo menos arrancaram compromissos por parte dos poderes constituídos da universidade, como o estabelecimento de um calendário de pagamento para salários em atraso. Além disso, fundamos a nossa Associação de Docentes - ADGF.

Iniciado o ano letivo de 2007, embora a UGF tenha mantido a proposta de regularização dos passivos trabalhistas - inclusive com a anunciada venda da Vila Olímpica de Jacarepaguá -, persistem os atrasos de salários, que agora já chegam a dois meses, e as mesmas irregularidades trabalhistas. O calendário de pagamento está praticamente extinto, a despeito das promessas divulgadas pela Reitoria, tanto em notas internas quanto em publicação num veículo de larga circulação externa. Somam-se a este quadro as inúmeras demissões sem as devidas homologações e os conseqüentes pagamentos das verbas trabalhistas.

Na assembléia realizada no dia 21 de junho de 2007, nós, professores, decidimos cumprir a parte que nos cabia:

- suspensão da paralisação;
- aplicação de GQ 3 e GQ E;
- lançamento das notas;
- adiamento da nota a ser publicada no jornal.

Essas atitudes foram uma demonstração clara do nosso respeito pelos alunos e de mais um crédito de confiança à instituição. Não recebemos da UGF, entretanto, qualquer retorno, o que ratifica o seu costumeiro desrespeito pela comunidade docente.

Assim, foi convocada uma nova assembléia para o dia 16 de agosto com o objetivo de deliberarmos sobre os rumos da nossa mobilização ao longo do segundo semestre de 2007.

Todos à assembléia do dia 16 de agosto, às 12h, na sala dos professores - prédio DI / Piedade.

?

voltar ao topo


Falecimento de José Hamilton Lopez, presidente do Sinpro-Petrópolis

Na última terça feira, dia 31 de julho, por volta das 18 horas, faleceu o professor José Hamilton Lopez. O professor tinha câncer e estava fazendo quimioterapia.

José Hamilton era o atual presidente do Sindicato dos Professores de Petrópolis (Sinpro-Petrópolis), após ter vencido as eleições em abril e tomado posse no dia 18 de maio. Seu mandato iria até 2010. Com sua morte, quem assume a presidência é o vice presidente, professor Gustavo Duriez Teixeira Mendes.

?

voltar ao topo


Ato em favor da TV Pública no Rio, dia 23.

No dia 23 de julho, a partir das 18h, O Comitê Pró-TV Pública realizará, no Rio de Janeiro, um ato em defesa da instalação da sede da futura rede de radiodifusão no estado. O ato, que será na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), na rua Araújo Porto Alegre 71, no Centro, vai contar com intelectuais, artistas, jornalistas, empresários, políticos, estudantes e trabalhadores dos setores de tecnologia da informação, cinema, entre outros. O Pró-TV foi criado em parceria entre o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro, a ABI, o Sindicato das Empresas de Informática do Estado, a Riosoft e está aberto à adesão de entidades civis e governamentais. A defesa da TV Pública no Rio se integra à luta do Estado pela liderança na produção de conteúdo (software), que será fundamental com a adoção da TV digital.

?

voltar ao topo


Autores e obras selecionados para a 13ª Bienal do Livro

O Sinpro-Rio selecionou diversos autores para exporem suas obras no stand do Sindicato na 13ª Bienal do Livro. As inscrições foram encerradas no final de junho com 31 inscritos, sendo todos alocados no evento. Segue abaixo a lista de obras e autores selecionados.

  • "Guia Prático para o estudo e resolução das questões de História" de Aldemir Maia Batissaco
  • "Fundamentos de Produção Gráfica para quem não é Produtor Gráfico" de Amaury Fernandes da Silva Júnior
  • "Didática - Ensinar e Aprender" de Ana Maria Monica Machado de Oliveira
  • "Brincadeiras de todos os tempos" de Anna Claudia Ramos
  • "Coleção Viva a Nossa Turma " de Aracy Antunes, Maria de Lourdes Trindade e Tomoko Paganelli
  • "Trilogia Sabedoria Popular" de Bruno Casotti
  • "Manual de Direito Tributário" de Cláudio Carneiro Bezerra Pinto Coelho
  • "A Velha e os Pombos" de Daniel Lisbôa
  • "Exu no Paço Imperial" de Elisabete Nascimento
  • "Sociedade brasileira: uma história através dos movimentos sociais - da crise do escravismo ao apogeu do neo-liberalismo" de Fernando Vieira
  • "Chuva Plural" (Poesias) de Gesner Garcez
  • "A Literatura infanto-juvenil vai muito bem, obrigada!" de Gloria Pimentel Correia Botelho de Souza
  • "A escola no pé das Andorinhas" de Hermínia Castro
  • "Rio de Janeiro: Panorama sócio-cultural" de Hiran Roedel
  • "Empregados domésticos em debate: com modelos práticos" de José Maurício Farina .
  • "Metrologia - uma ciência transdisciplinar" de Júlio Vaz
  • "Polissemia dos verbos em José Lins do Rego" de Juracy Carretta de Alvarenga
  • "Quatro Formas de Sentir" de Kátia Vieira Silva
  • "Brasil: uma História popular" de Lúcia Naegeli
  • "Várias Maneiras de Provocar um Ataque de Nervos Num Professor" de Luiz Fernando Araújo
  • "Pare e Reflita - pensando com os jovens a educação, cidadania e a sustentabilidade" de Marcia Mignone e Monica Cernigoi
  • "Nova Tabuada Fundamental" de Olegário Neves Lisboa
  • "Verbos Conjugados - Compêndio" de Pedro Eduardo de Oliveira
  • "Informática para concursos - Guia Prático" de Renato da Costa
  • "História dos Sociedades Americanas" de Rubim Aquino
  • "Consultoria Empresarial" de Sergio Rodrigues
  • "O Planeta Adolescência" de Sérgio Pinto Magalhães
  • "O Mal: Interpretação de Paul Ricouer" de Severino Cadorin
  • "Bicho Papão pra gente pequena Bicho Papão pra gente grande" de Sônia Travassos
  • "Educação Ambiental: instrumento de resgate da saúde e da cidadania" de Suzi de Mattos
  • "Desvendando a Barra da Tijuca e Jacarepaguá" de Valteir Lobo
  • "Física na Prática" de Walter da Silva Santos
?

voltar ao topo


Ato em favor da TV Pública no Rio, dia 23.

No dia 23 de julho, a partir das 18h, O Comitê Pró-TV Pública realizará, no Rio de Janeiro, um ato em defesa da instalação da sede da futura rede de radiodifusão no estado. O ato, que será na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), na rua Araújo Porto Alegre 71, no Centro, vai contar com intelectuais, artistas, jornalistas, empresários, políticos, estudantes e trabalhadores dos setores de tecnologia da informação, cinema, entre outros.

O Pró-TV foi criado em parceria entre o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro, a ABI, o Sindicato das Empresas de Informática do Estado, a Riosoft e está aberto à adesão de entidades civis e governamentais. A defesa da TV Pública no Rio se integra à luta do Estado pela liderança na produção de conteúdo (software), que será fundamental com a adoção da TV digital.

?

voltar ao topo


Sinpro-Rio promove cursos de atualização em Paracambi

No dia 23 junho, foi a vez do município de Parcambi receber os cursos de atualização: Dinâmica de grupo, Oficina de letramento e Dificuldade de Aprendizagem, do Sinpro-Rio.

Mas dessa vez, não foram só professores locais que participaram, profissionais de outras áreas, educadores do Rio de Janeiro, Mendes, Paulo de Frontim, Japeri e Queimados também estiveram presentes nas atividades. Ao final do evento, os 144 participantes responderam uma pesquisa, em que avaliaram positivamente quanto o conteúdo, apresentação e organização.

?

voltar ao topo


Professores da Gama Filho voltam às aulas

Na Assembléia do dia 21/06, os professores da UGF decidiram retornar as atividades, manter o caráter de assembléia permanente e acolher a seguinte proposta: abono do ponto nos dias parados (18 a 23/06) e o compromisso de retomar o calendário de pagamentos (iniciando com os grupos 1º, 2º e 3º a partir do dia 26/06).

Estas decisões foram com base nas negociações, entre o Sinpro-Rio, a Associação Docente da Universidade Gama Filho (ADGF) e a Reitoria, depois que a instituição descumpriu o calendário de pagamento acordado com os professores, em 2006. A próxima assembléia, que vai discutir os rumos do movimento, será realizada no dia 15 de agosto, às 12h, no campus Piedade.

?

voltar ao topo


Lançamento do Concurso de redação "Camélia da Liberdade"

O Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP) lançará, no dia 27 de junho, às 18 h, no Teatro Noel Rosa, no /Campus/ Uerj / Maracanã, o concurso de redação "Camélia da Liberdade " - para alunos do ensino médio e núcleos pré-vestibulares.

Com apoio do Sinpro-Rio e Secretaria Estadual de Educação, e patrocínio da Petrobras e Governo Federal, o concurso tem como objetivo principal promover uma reflexão dos corpos docente e discente sobre como a inclusão dessa nova disciplina poderá resultar em ações afirmativas e igualdade racial na sociedade brasileira.

O concurso premiará os autores das três primeiras redações classificadas com computadores; o professor orientador ganhará uma filmadora; e a escola do primeiro colocado receberá um laboratório de informática com dez equipamentos.

Todas as escolas inscritas receberão a cessão dos direitos ao uso do material desenvolvido pelo CEAP sobre a nova disciplina - que recebeu, recentemente, o parecer positivo do MEC.

O edital do concurso estará disponível na internet a partir do dia 28 de junho no endereço www.portalceap.org.br

?

voltar ao topo


Professores da Gama Filho ficam parados até 22/06

Diante do não pagamento dos salários de abril, maio e o não posicionamento da UGF até o dia 18/06, os professores decidiram, em Assembléia, que:

- a paralisação continua até o dia 22/06 (sexta-feira), não havendo aplicação de GQ3 (prova final), aguardando uma posição da reitoria;

- acontecerá uma Assembléia no dia 21/06 (na sala dos professores do prédio DI), às 8h, para decidir os rumos do movimento;

- serão mantidos os seguintes serviços essenciais: - orientação e banca de TCC; - atendimento à comunidade; - eventos e atividades que envolvam outras instituições.

O Sinpro-Rio e ADGF estarão buscando uma audiência junto ao reitor, para tentar solucionar os problemas.

?

voltar ao topo


Professores participam de cursos de atualização em Itaguaí

No dia 16 de junho, o Sinpro-Rio realizou três cursos de atualização na base estendida, em Itaguaí: Enfrentando desafios e derrubando barreiras, oficina de letramento e dinâmica de grupo. Segundo um balanço feito pelo Sindicato, 90 professores participaram das atividades. Ao final dos cursos, foram feitas pesquisas em que os professores avaliaram as atividades como ótimas experiências.

?

voltar ao topo


Professores da UGF paralisam suas atividades dia 18/06

Os professores da Universidade Gama Filho ainda não receberam seus salários de abril e maio que,segundo o calendário de pagamentos acordado pela Universidade com a comunidade docente, deveriam ter começado a ser pagos a partir de 12 de junho.

O momento exige uma posição que manifeste, de forma incisiva, nosso inconformismo com a falta de cumprimento das obrigações trabalhistas por parte da UGF. Diante disso, os professores decidiram por:

- paralisar suas atividades pedagógicas, sem assinatura de ponto, na próxima segunda-feira, dia 18 de junho;

- realizar assembléia , às 8h do mesmo dia, com o objetivo de avaliar coletivamente a crise que se abate sobre a instituição e deliberar sobre os rumos do movimento.

ASSEMBLÉIA GERAL DA ADGF
Campus Piedade - Sala dos Professores do Prédio DI - às 8h

?

voltar ao topo


Professores da UGF fazem assembléia dia 13/06

No dia 13 de junho, os professores da Universidade Gama Filho farão uma continuação da assembléia permanente para avaliar se o calendário de pagamento está sendo respeitado pela instituição. Ao contrário do aconteceu no dia 4/06, desta vez não haverá paralisação. Também estarão na ordem do dia os seguintes pontos:

Processo eleitoral para ADGF
Avaliação e desdobramento do movimento dos professores UGF
A assembléia será realizada na terça-feira, dia 13 de junho, às 12h30, no auditório, 7º andar, do prédio MR, Campus Piedade.

Lideranças discentes estão convidadas a comparecer!

?

voltar ao topo


Nova assembléia dos professores da UCAM no dia 12/06

No dia 12 de junho, os professores da Universidade Candido Mendes (UCAM) farão uma nova assembléia para avaliar o movimento e decidir quanto ao cumprimento da UCAM de pagamento de salários ainda pendentes.

Os professores ainda mantêm estado de greve, reivindicando: a regularização de salários, o início do pagamento dos passivos trabalhistas (em que se incluem as férias), o recolhimento mensal do FGTS e o compromisso para efetuar os depósitos atrasados na Caixa Econômica Federal (CEF).

A assembléia será realizada na terça-feira, dia 12 de junho, às 12h30, na sala 507 da unidade Centro.

?

voltar ao topo


Professores da UGF paralisam suas atividades no dia 4/06

Na Assembléia do dia 29 de maio, os professores da Universidade Gama Filho decidiram fazer uma paralisação, sem assinatura de ponto, no dia 4 de junho. Os docentes reivindicam o pagamento dos salários atrasados e cumprimento por parte da universidade das obrigações trabalhistas. No dia 4, segunda-feira, será realizada uma nova Assembléia, às 18h, na Campus Piedade, para avaliar a reunião já agenda com a reitoria, no mesmo dia, às 15h30, e decidir os rumos do movimento.

?

voltar ao topo


Assinada a Convenção Coletiva da Educação Superior

No dia 28 de maio de 2007, foi assinada e dada entrada na Delegacia Regional do Trabalho, para registro, a Convenção Coletiva de Trabalho da Educação Superior. Leia na integra a Convenção.

Sindicato conquista INPC e abono em outubro

Reajuste salarial: INPC (3,3%) de uma só vez + abono de 2% em outubro

O reajuste de 3,3% se aplica aos salários a partir de 1º de abril, sendo pagos de uma só vez. Em outubro, os professores farão jus a um abono de 2% do salário daquele mês, sem incorporação.

SINPRO-RIO MANTÉM TODAS AS CLÁUSULAS SOCIAIS
Com a manutenção das cláusulas sociais, os professores continuarão com os direitos constantes da atual Convenção, como: pisos salariais, anuênio, pagamento das atividades extraordinárias e janelas, adicionais por aprimoramento acadêmico, licença para aprimoramento acadêmico, multas na ocasião da demissão, complementação de auxílio doença, estabilidade da gestante e na pré-aposentadoria, e outras, que fazem com que os docentes do ensino superior do Rio tenham a melhor Convenção Coletiva do país.

COM A MANUTENÇÃO DO ANUÊNIO, O REAJUSTE DA MAIORIA DOS PROFESSORES DO ENSINO SUPERIOR SERÁ DE 4,3%
A manutenção do adicional por tempo de serviço (anuênio de 1%) é um ganho real para os professores. Logo, a maior parte dos docentes terá um reajuste de 1,033 x 1,01 = 1,043, ou seja, 1% de ganho real. Comissão Paritária Foi criada uma Comissão Paritária que discutirá, durante o ano de 2007, temas como: Educação à Distância, Pós-Graduação, duração das aulas noturnas e atualização da Convenção à nova legislação educacional (LDB).
Veja comentário.

Contribuição Assistencial - prazo para direito de oposição
A cláusula da contribuição assistencial estabelece o desconto de 2% (dois por cento) do salário, de uma só vez, no pagamento do mês de junho, garantido ao professor o direito de prévia oposição ao desconto, aprovado pela assembléia da categoria, no prazo de 20 (vinte) dias contados da data da assinatura da Convenção (dia 28 de maio de 2007), somente quando manifestada direta e pessoalmente na sede ou subsedes do Sinpro-Rio. O prazo para exercício do direito de oposição termina em 18 de junho (inclusive).

Fortaleça o seu Sindicato - Contribuição Assistencial, uma necessidade

?

voltar ao topo


Decisões dos docentes da Candido Mendes

Os professores da Candido Mendes decidiram, em assembléia, realizada no dia 17 de maio, suspender a greve e retornar à situação de normalidade para garantir a qualidade do ensino. Os docentes, que deram um crédito de confiança à instituição, podem voltar ao estado de greve caso a universidade não integralize o pagamento de março, não efetue o pagamento de abril (até 22 de maio), demita professores e reduza a carga horária.

Os professores ainda mantêm a luta, reivindicando: a regularização de salários, o início do pagamento dos passivos trabalhistas (em que se incluem as férias), o recolhimento mensal do FGTS e o compromisso para efetuar os depósitos atrasados na Caixa Econômica Federal (CEF). Tudo isso será ainda motivo de discussão para a próxima assembléia, a ser realizada na sexta-feira, dia 25 de maio, às 12h30, na sala 507 da unidade Centro.

?

voltar ao topo


Aposentados que continuam trabalhando podem sacar o FGTS

Os trabalhadores aposentados que continuaram trabalhando na mesma empresa - ou seja, que mantiveram o mesmo vínculo empregatício ? podem agora sacar o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço acumulado desde a concessão da aposentadoria e também sacar o valor do FGTS depositado mensalmente.

As novas regras foram divulgadas recentemente em circular da Caixa Econômica Federal. Os trabalhadores que se enquadram nessas características já podem solicitar os saques em qualquer uma das agências da CEF. Para isso é preciso apresentar os seguintes documentos: documento fornecido pelo INSS que comprove a aposentadoria, carteira de trabalho e o Cartão Cidadão (ou cartão de inscrição no PIS/PASEP), cópia simples do RG, CPF e da Carteira de Trabalho (as páginas com identificação e foto, qualificação e o contrato de trabalho da referida conta).

A mudança nas regras que disciplinam o saque do FGTS tem como o pano de fundo a decisão do Supremo Tribunal Federal no ano passado de que a aposentadoria não extingue o contrato de trabalho.

É importante ressaltar que não têm direito aos saques os trabalhadores aposentados que se mantiveram na ativa, mas tiveram alteração do vínculo empregatício, como, por exemplo, o professor que se aposentou, continuou lecionando, mas em outra escola ou o que, ao se aposentar, saiu da escola e depois voltou a trabalhar na mesma instituição. Nestes casos, as novas regras que garantem os saques não são válidas.

?

voltar ao topo


Aposentado tem direito aos 40% sobre o total de depósitos no FGTS

O trabalhador que se aposentou, permaneceu na empresa e for posteriormente demitido sem justa causa tem direito à multa dos 40% do FGTS sobre todos os depósitos efetuados no período trabalhado e não apenas os efetuados a partir da aposentadoria. É o que definiu o Supremo Tribunal Federal e, depois, o Tribunal Superior do Trabalho

É uma importante vitória dos trabalhadores brasileiros. Agora as empresas, incluindo aí as escolas, não têm mais alegações jurídicas: ao demitir o trabalhador aposentado, têm que calcular a multa de 40% sobre o total de depósitos no FGTS.

Para entender:
A decisão da Justiça é o fim de uma longa quebra-de-braço. Em 1997, uma medida provisória, depois convertida na lei 9.528/97, alterou o artigo 453 da CLT, permitindo o entendimento de que aposentadoria extinguiria o vínculo empregatício. Tal alteração, no entanto, teve sua constitucionalidade questionada através de uma ação movida no Supremo Tribunal Federal por alguns partidos políticos.

No julgamento dessa ação, ocorrido em outubro agora, o STF decidiu: a aposentadoria não extingue o contrato de trabalho. E, como explicou o ministro Carlos Ayres Britto, relator do processo, em entrevista para a revista Consultor Jurídico, "embora não disséssemos: "terá de depositar os 40% sobre o total de depósitos em FGTS", deixamos implícito".

Como conseqüência da decisão no Supremo, dias depois, o Tribunal Superior do Trabalho cancelou a Orientação Jurisprudencial (OJ) 177 que dava sustentação legal para que os empregadores calculassem o pagamento dos 40% sobre o FGTS apenas entre a aposentadoria e a demissão, desconsiderando o período anterior.

O que fazer agora?
Os professores aposentados que continuam lecionando precisam ficar atentos. Em caso de demissão agora no fim do ano, as escolas deverão pagar, além das verbas rescisórias habituais, a multa de 40% do FGTS calculada sobre todos os depósitos efetuados durante o contrato de trabalho, antes e

?

voltar ao topo


Dia 23 de maio: Jornada Nacional de Lutas

No dia 23, a CUT-RJ realizara uma passeata contra a Emenda 3 e todas as reformas que pretendem flexibilizar as leis trabalhistas. O evento irá marcar a participação dos trabalhadores e estudantes do Rio de Janeiro na Jornada Nacional de Lutas. A manifestação sairá dos fundos da Igreja da Candelária, seguindo até o Ministério da Fazenda, na Avenida Antônio Carlos. A concentração está marcada para às 13 h.

O Sinpro-Rio convida a todos os professores, sindicalizados ou não, a se empenharem na convocação da passeata. Esta será fundamental para impedir que deputados e senadores derrubem o veto presidencial à emenda 3. Será também uma forma de exigir do governo Lula a retirada do projeto de lei 01, incluído no PAC, que congela os salários do funcionalismo público federal por 10 anos.

?

voltar ao topo


Sinpro-Rio promove Fórum de Educação Física - 31/05 e 1/06

Nos dias 31 de maio e 1 de junho, o Sinpro-Rio realizará o 1º Fórum de Educação Física. O objetivo é aprofundar o debate sobre as questões que afetam os professores desse segmento, como: a formação acadêmica, o cotidiano escolar e a relação que se estabelece entre esses profissionais e o mercado de trabalho. Em especial, será debatida a ação coercitiva exercida pelo CREFI-RJ e as medidas adotadas pelo Sinpro-Rio e a Contee.

O evento contará com a participação dos professores doutores: Marcelo Paula de Melo (UNIABEU/Faetec), Hugo Lovisolo (UERJ), Antonio Jorge Soares (UGF/UFRJ), Simoni Lahud Guedes (UFF), Elaine Romero (Universidade de Tarapacá/Chile), entre outros. O Fórum, que terá entrada franca, vai acontecer na sede do Sindicato, na rua Pedro Lessa, 35, 2º andar, no Centro.

Mais informações pelo 3262-3440 ou pelo escola@sinpro-rio.org.br

Veja a Programação!

?

voltar ao topo


Assinada a Convenção Coletiva da Educação Básica

No dia 11 de maio de 2007, foi assinada e dada entrada na Delegacia Regional do Trabalho, para registro, a Convenção Coletiva de Trabalho da Educação Básica.
Leia na integra a Convenção.

SINPRO-RIO MANTÉM O MESMO GANHO REAL OBTIDO EM 2006 Reajuste salarial: 4,1% a partir de 1º de abril de 2007 4,1% = INPC acumulado entre 1º de abril de 2006 (3,3%) + 0,8% de ganho real

Leia comentário.

SINPRO-RIO MANTÉM TODAS AS CLÁUSULAS SOCIAIS E CONQUISTA CLÁUSULA DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA
Com a manutenção das cláusulas sociais, os professores continuam gozando dos direitos a: pisos salariais, adicional por tempo de serviço (triênio de 3%), gratuidade para os filhos e dependentes, multa na demissão, salário-contratação, pagamento das aulas de recuperação, pagamento das janelas e atividades extraordinárias, estabilidade para gestante, estabilidade no período pré-aposentadoria, e outros.

Cláusula nova
Será redigida de modo a garantir a remuneração de qualquer trabalho realizado on-line, ou de assistência a alunos, feito no ambiente da escola ou em casa.
Leia nossa opinião.

Contribuição Assistencial - Prazo para direito de oposição

A cláusula da contribuição assistencial estabelece o desconto de 2% (dois por cento) do salário, de uma só vez, no pagamento do mês de junho, garantido ao professor o direito de prévia oposição ao desconto, aprovado pela assembléia da categoria, no prazo de 20 (vinte) dias contados da data da assinatura da Convenção (dia 11 de maio de 2007), somente quando manifestada direta e pessoalmente na sede ou subsedes do Sinpro-Rio. O prazo para exercício do direito de oposição termina em 30 de maio (inclusive).

Fortaleça o seu Sindicato - Contribuição Assistencial, uma necessidade

?

voltar ao topo


Universidade Rural abre inscrições para reingresso e transferência

A Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro divulgou o calendário para reingresso, transferência interna e externa para os cursos de graduação, com início no segundo período letivo de 2007. O período de inscrições começa na segunda-feira, dia 14 de maio e termina na sexta-feira, 18. Além da taxa de R$ 10,00 (dez reais), o candidato deverá fazer a prova de avaliação com o conteúdo de matérias específicas do vestibular e a redação. A prova acontecerá dia 20 de junho.

As notas serão divulgadas dia 23 do mesmo mês. Os candidatos que quiserem revisão, ou algum recurso, tem desta data até o dia 25 para recorrerem. O Resultado Final, sairá dia 6 de agosto.

No total, são 361 vagas, sendo 185 para reingresso, 90 para transferência interna e 86 para transferência externa. As inscrições poderão ser feitas no Decanato de Ensino de Graduação, na sala 92, do Pavilhão Central da UFRRJ, em Seropédica. O Edital está disponível no site www.ufrrj.br/graduacao. Mais informações, inclusive datas de confirmação de vaga e matrículas: (21)2682.2911.

?

voltar ao topo


Nova forma de pagamento no Sinpro-Rio

Entrou em funcionamento, dia 27 de abril, no Sinpro-Rio, uma máquina de débito e crédito Visa, para facilitar a vida dos professores. Uma nova forma de pagamento, que não fosse dinheiro, era uma antiga exigência dos professores. A novidade fica na recepção do Sinpro-Rio, no segundo andar, e poder ser utilizada para o pagamento de qualquer boleto; Sind-tour, Anuidade, Mensalidade, Cursos da Escola do professor e etc.

?

voltar ao topo


Lazer, um veículo de educação

Nos dias 25, 26 e 27 de abril, aconteceu o VIII Seminário Lazer em Debate, no Sinpro-Rio. O objetivo do encontro, que reuniu mais de 200 participantes entre professores e teóricos, foi provocar, de um jeito mais direcionado, os debates e reflexões na área de "Estudos do Lazer".

Uma das reflexões do encontro foi a questão da televisão como forma de lazer. De acordo com dados, o brasileiro passa mais tempo na frente da TV na sua hora de lazer do que fazendo outras atividades. E isso é um ponto negativo, porque o individuo começa a perder o senso critico em relação ao conteúdo a que assiste.

O seminário também contou com participantes estrangeiros, que discutiram o lazer na América Latina. Cada palestrante falou sobre as peculiaridades de seus respectivos países. O professor Gustavo Coppola discursou sobre a Argentina; o psicólogo social, Fabian Vilas, sobre o Uruguay; e o professor Victor Molina, sobre a Colômbia.

O evento também tentou analisar o lazer em sociedades passadas, como no Império Grego e Romano e nas sociedades da Idade Média, tentando desmentir a fama de "Idade das Trevas", que marca esse período.

Um dos pontos altos do fórum foi seu caráter interacional. Além de mesas redondas, aconteceram comunicações orais em mesas temáticas e seções de pôsteres.

Segundo o organizador do evento, professor Victor Melo, da UFRJ, seminários como este são importantes para discutir, pensar e criar mecanismos de mediação nos momentos de lazer. Victor afirmou que a sociedade precisa se conscientizar de que o lazer é um direito social e um grande veículo de educação.

?

voltar ao topo


Morre o professor Rinaldo William do CP II

Faleceu no dia 25 de abril o professor de história Rinaldo William Romero do Colégio Pedro II. O Sinpro-Rio lamenta a perda deste grande educador, que era atuante, querido por todos e contribuiu para a formação de muitas gerações de alunos. Temos a certeza de que Rinaldo deixara muitas saudades.

?

voltar ao topo


Não haverá expediente no Sinpro-Rio nos dias 23 e 30/04

Professor(a),

O Sinpro-Rio não funcionará no dia 23, em função do feriado de São Jorge. Já no dia 30, não haverá expediente, devido ao recesso do dia dos trabalhadores.

?

voltar ao topo


Cursos Livres - Assembléia nesta sexta-feira, dia 20/04

Professor(a),

O Sinpro-Rio (Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro e Região) vem convocá-lo(a) para a Assembléia a realizar-se no dia 20 de abril, 6ª feira, a partir das 17h, em nossa sede, no Centro. Sua presença é fundamental para a reconquista de nossa Convenção Coletiva para cursos livres, instrumento essencial na luta pelo respeito aos direitos desse segmento da nossa categoria.

A Convenção Coletiva assegura direitos como gratuidade para filhos de professores(as), adicional por tempo de serviço e estabilidade pré-aposentadoria, entre outros. Além disso, ela determina o percentual de aumento que deve incidir sobre os vencimentos e o piso salarial.

A ausência de Convenção Coletiva em vigor cria um ambiente propício ao sistemático desrespeito aos direitos dos trabalhadores.

Desde 2005, os professores de cursos livres se encontram sem a proteção deste importante instrumento. O Sindlivre (sindicato patronal representante dos donos de cursos livres) alega não ter interesse em renovar a Convenção que mantinha com o Sinpro-Rio.

Para pôr fim a este impasse, o Sinpro-Rio buscou a intermediação do Ministério Público do Trabalho, que acompanhará o processo de negociação em 2007. Tal esforço não basta, no entanto. O Sinpro-Rio tem a convicção de que a participação ativa da categoria será fator determinante para um desfecho favorável a nós, professores.

Se você atua como professor(a) - mesmo que a denominação na carteira de trabalho seja outra - em curso de idioma, de computação, preparatório, academia de ginástica ou similar, esta causa é sua. Mobilize-se e venha ajudar na elaboração da pauta de reivindicações para a campanha salarial de 2007. Fortaleça o SEU sindicato.

Assembléia de Professores de Cursos Livres

Dia: 20 de abril

Horário: a partir das 17h

Local: Auditório do Sinpro-Rio - R. Pedro Lessa, 35, 2º andar - Centro

?

voltar ao topo


Resultado da Assembléia da Educação Básica de 14/04

No dia 14 de abril, a Assembléia da Educação Básica aprovou o reajuste de 4,09% a partir de 1º de abril, resultado do INPC (3,3%), mais ganho real.

A categoria também aprovou a manutenção de todas as cláusulas sociais, e a inclusão de uma outra para regulamentar o trabalho on line/internet, ainda a ser redigida.

O próximo passo para a assinatura do Acordo 2007 será a sua aprovação pela Assembléia Patronal.

?

voltar ao topo


Resultado da Assembléia da Educação Superior de 14/04

A Assembléia da Educação Superior, realizada no dia 14 de abril, aprovou o INPC completo: 3,3% a partir de 1º de abril, com um abono de 2% em 1º de outubro.

A categoria também aprovou a manutenção de todas as cláusulas sociais e a criação de comissões paritárias para discutir os seguintes assuntos para a próxima Data Base:

1 - Ensino à Distância/regulamentação;

2 - Pós-Graduação;

3 - duração das aulas noturnas;

4 - atualização do acordo vigente na Nova Legislação Educacional (LDB);

Esse resultado, que ainda não foi assinado, está aprovado pelos Professores e pelo Patronato.

?

voltar ao topo


Resultado da Assembléia da Educação Superior de 14/04

A Assembléia da Educação Superior, realizada no dia 14 de abril, aprovou o INPC completo: 3,3% a partir de 1º de abril, com um abono de 2% em 1º de outubro.

A categoria também aprovou a manutenção de todas as cláusulas sociais e a criação de comissões paritárias para discutir os seguintes assuntos para a próxima Data Base:

1 - Ensino à Distância/regulamentação;

2 - Pós-Graduação;

3 - duração das aulas noturnas;

4 - atualização do acordo vigente na Nova Legislação Educacional (LDB);

Esse resultado, que ainda não foi assinado, está aprovado pelos Professores e pelo Patronato.

?

voltar ao topo


Fórum de Gênero, Educação e Trabalho

Aconteceu, nos dias 12 e 13 de Abril, O Fórum de Gênero, Educação e Trabalho, no auditório do Sinpro-Rio. O evento, que foi organizado pelo Sindicato, discutiu estratégias para evitar todas as formas de discriminação e abordou temas como; a construção da masculinidade, a diversidade nas escolas, entre outros.

As atividades começaram com a professora e doutora, Helena Teodoro, que discursou sobre as Politicas Públicas de Gênero. A palestrante abordou temas como o preconceito sofrido pelas mulheres, principalmente as negras, e enfatizou a importância da cultura, como um dos principais caminhos para a inclusão social.

Durante a tarde, ainda no dia 12, aconteceram mais duas palestras; com a professora Jane Felipe e o professor Victor de Andrade Melo. A professora da UFRS dissertou sobre a Diversidade nas Escolas na Perspectiva Pedagógica e do Trabalho. Jane também tratou de temas contemporâneos, como; a sexualidade como espetáculo e a "Pedofilização". Victor de Andrade Melo, por sua vez, tratou da questão da construção da masculinidade.

No dia 13, o evento foi encerrado com a apresentação de um painel sobre as organizações sociais de gênero.

?

voltar ao topo


Exames gratuitos para professores no Dia Internacional da Voz - 16/04

Dando continuidade à campanha " Voz para Educar ", no próximo dia 16, Dia Internacional da Voz, o Sinpro-Rio disponibilizará a todos os professores uma equipe de fonoaudiólogas, que irão realizar exames computadorizados da voz e responder as dúvidas da categoria sobre higiene vocal. O atendimento será das 9 às 15h, na sede do Sinpro-Rio, que fica na rua Pedro Lessa, 35, 2º andar, Centro.

Participe!

?

voltar ao topo


13º Consind lança a campanha "Educação não é mercadoria" no Rio

Nos dias 13 e 14 de abril, acontecerá o 13º Conselho Sindical da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Consind da Contee), no Rio Presidente Hotel (rua Pedro I, nº 19, Centro), no Rio. O encontro, que vai reunir 350 delegados, terá como pauta a sustentação financeira da Confederação e o pedido de autorização para a convocação de um congresso extraordinário da Contee, em 2008.

No evento, acontecerá o lançamento da campanha "Educação não é mercadoria", para barrar a desnacionalização da educação superior, valorizar e exigir a regulamentação da educação privada no país. Nesse sentido, foi publicada uma carta aberta ao presidente Lula, na revista Carta Capital, onde destaca-se que é preciso atuar na regulamentação da educação privada.

A Contee está acompanhando a tramitação do Projeto de Lei 7.200, que trata da reforma da educação superior, e irá elaborar um dossiê sobre o projeto, citando a realidade da educação superior privada, a ser entregue aos parlamentares.

As inscrições para o 13º Consind devem ser feitas diretamente no portal da Confederação. Para mais informações, é preciso entrar em contato com a sede da CONTEE, em Brasília, pelos telefones (61)3226-1278 e (61)3223-2194 ou pelo e-mail: contee@contee.org.br .

?

voltar ao topo


Recesso de Páscoa no Sinpro-Rio

Professores,

O Sindicato não funcionará nos dias 05 e 06/04

Retornamos nossas atividades normalmente no dia 09/04

?

voltar ao topo


Cadê o Basta? - Professor morre em colégio estadual

A Diretoria do Sinpro-Rio se solidariza ao movimento "CADÊ O BASTA" e somará seu empenho ao das entidades da sociedade civil que desejam dar um basta à violência que vem "matando", desprestigiando, desvalorizando o trabalho dos professores submetendo-nos às piores condições de trabalho. Estamos na luta para recuperar nossa dignidade, por melhores condições de trabalho, por uma sociedade sem violência de qualquer natureza.

O professor Marcos Avellar do Nascimento, 35 anos, lecionava Educação Física desde 1992 na Rede Estadual de Educação do Rio de Janeiro. No dia 13 de março, foi encontrado muito machucado no pátio do Colégio Estadual Agripino Grieco,localizado no bairro do Engenho de Dentro, subúrbio da zona norte da cidade do Rio de Janeiro. O professor morreu no dia 21 de março. Suspeita-se do envolvimento de alunos em possível espancamento. A Secretaria Estadual de Educação (SEE-RJ) nega: foi um "empurrão acidental"que ocasionou o traumatismo craniano e os diversos hematomas. O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (SEPE-RJ) quer investigação do Ministério Público.

Notas de solidariedade ao Companheiro MARCOS.

Caro Mauricio e demais amigos,

Felizmente eu trabalhei com o Prof. Marcos durante três anos na Escola Municipal Rio Grande do Sul e me orgulho de ter sido sua amiga e coordenadora. Professor impecável, politizado, exemplar, respeitador e muito compromissado em trabalhar em uma escola de qualidade para os filhos da classe trabalhadora e os excluídos sociais. No dia 28 de fevereiro fez um discurso belíssimo sobre como temos que trabalhar o PAN com nossas crianças , que deveríamos levá-las ao questionamento sobre porque nossas escolas não tem inspetor de alunos , quadras de esportes decentes, enfim condições de trabalho e porque tínhamos o Engenhão. Temos que dar mais atenção ao que aconteceu, um Prof. morreu principalmente por falta de socorro. Ele era adorado pelos alunos de todos os cinco colégios em que trabalhava e cadê o Basta? Paz e luz para Marcos

Profª Regina Karla de Azevedo

?

voltar ao topo


Novas Assembléias da Campanha Salarial 2007

Professor(a), compareça as novas Assembléias, da Campanha Salarial. Seu voto é importante nesta luta.
Contamos com a sua presença.

Assembléia da Educação Básica
Sábado (14/4), às 10 horas, no auditório do Sinpro-Rio, rua Pedro Lessa, 35, 2° andar, centro.

Assembléia do Educação Superior
Sábado (14/4), às 13h30m, no auditório do Sinpro-Rio, rua Pedro Lessa, 35, 2° andar, centro.

?

voltar ao topo


Encontro dos educadores do PT-RJ e ato de filiação no Sinpro-Rio

No próximo dia 24, sábado, às 9h, será realizado no auditório do Sinpro-Rio o encontro dos educadores do Partido dos Trabalhadores do Rio de Janeiro (PT-RJ). Comunico a todos que, durante este evento de grande importância para organização desta categoria no partido, irei efetivar minha filiação ao PT. Gostaria de convidar a todos os companheiros a comparecerem neste ato.

Saudações Sindicais

Antonio Rodrigues
Vice-presidente do Sinpro-Rio

?

voltar ao topo


Professor, ajude a construir a pauta de negociações.

Professor da Educação Básica e Superior,

A diretoria do Sindicato solicita a todos os professores que informem de quanto foi o reajuste das mensalidades dos alunos em sua instituição de ensino.

O pedido se deve à necessidade de construir uma pauta de negociações que será apresentada na próxima Assembléia da categoria, a ser divulgada em breve. Dê sua informação clicando aqui:

?

voltar ao topo


Campanha Salarial 2007 - Resoluções da Educação Básica

O Sinpro-Rio realizou no dia 10 de março (sábado) a primeira Assembléia da Campanha Salarial 2007. Na ocasição a categoria definiu o índice de reajuste salarial e as demais reivindicações dos professores (leia o texto abaixo), as quais serão encaminhadas ao sindicato patronal na próxima reunião paritária (Sindicato e patrões). Em breve estaremos divulgando a data da nova Assembléia da Campanha Salarial 2007.

Educação Básica

1 - Revisão Salarial: INPC acumulado dos últimos 12 meses, até 01/04/07(projeção de 3,11) + 2% de produtividade (ganho real);

2 - Manutenção de todas as Cláusulas Sociais vigentes;

3 - Cláusulas Novas:

3.1 - Precedentes Normativos: são cláusulas que já foram aceitas pelo TST para outras categorias;

3.2 - EAD - Baseado no ítem 4 do art. 20 da Deliberação CEE nº. 297, de 04/07/2006 introduzir a seguinte cláusula: "Na composição do quadro técnico e pedagógico para o funcionamento do curso e programas à distância, os tutores terão que ser professores, devidamente habilitados".

3.3 - Coordenadores, assessores e diretores pedagógicos: Baseado na Lei 11.301, de 10/05/06, introduzir uma cláusula na qual estes profissionais sejam abrangidos pela Convenção Coletiva da Educação Básica;

3.4 - Trabalho "on line": criar cláusula que regularize o trabalho extra-classe realizado pela internet, com devida remuneração equivalente, no mínimo, a hora-aula e limitado ao espaço e tempo(horário) escolar;

3.5 - Educação Infantil - Baseado nas deliberações E/CME nº 03/2000 e E/CME nº 06/2001, que tratam da regulamentação deste segmento, criar cláusula estabelecendo a relação professor/alunos por sala de aula;

3.6 - Paritária Especial: Definir em cláusula a criação de uma Comissão Paritária para para discutir a elaboração de um Plano de Carreira para a categoria profissional;

4 - Contribuição Assistencial: Desconto de 2% dos salários reajustados dos professores, de uma só vez, garantindo prazo de 20 dias após a assinatura do Acordo para o direito de oposição.

?

voltar ao topo


Campanha Salarial 2007 - Resoluções da Educação Superior

O Sinpro-Rio realizou no dia 10 de março (sábado) a primeira Assembléia da Campanha Salarial 2007. Na ocasição a categoria definiu o índice de reajuste salarial e as demais reivindicações dos professores (leia o texto abaixo), as quais serão encaminhadas ao sindicato patronal na próxima reunião paritária (Sindicato e patrões). Em breve estaremos divulgando a data da nova Assembléia da Campanha Salarial 2007.

Educação Superior

1 - Revisão Salarial: INPC acumulado no período de 01/04/06 até 31/03/07(projeção de 3,11%) acrescido de 2% de produtividade(ganho real)

2 - Manutenção de todas as Cláusulas Sociais vigentes;

3 - Cláusulas Novas:

3.1 - Precedentes Normativos: são cláusulas que já foram aceitas pelo TST para outras categorias;

3.2 - EAD: Baseado no ítem 4 do art.20 da Deliberação CEE nº 297, de 04/07/2006 introduzir a seguinte cláusula: " Na composição do quadro técnico e pedagógico para o funcionamento do curso e programas à distância, os tutores terão que ser professores, devidamente habilitados".

4 - Contribuição Assistencial: Desconto de 2% dos salários reajustados dos professores, de uma só vez com prazo de 20 dias após a assinatura do Acordo para o direito de oposição.

?

voltar ao topo


Assembléias da Campanha Salarial 2007

Professor(a), venha construir a pauta de reivindicações da categoria. Seu voto é importante na luta da Campanha Salarial 2007.

Recordando Geraldo Vandré: "Quem sabe faz a hora, não espera acontecer".
Contamos com a sua presença.

Assembléia da Educação Básica
Sábado (10/3), às 10 horas, no auditório do Sinpro-Rio, rua Pedro Lessa, 35, 2° andar, centro.

Assembléia do Ensino Superior
Sábado (10/3), às 13h30m, no auditório do Sinpro-Rio, rua Pedro Lessa, 35, 2° andar, centro.

?

voltar ao topo


Passeata pelo Dia Mundial da Mulher - dia 08/03

No próximo dia 08, haverá a tradicional passeata pelo Dia Mundial da Mulher, no Centro da Cidade. A concentração será na Candelária a partir das 16h e a passeata irá até a Cinelândia. A decisão foi aprovada na reunião da Organização do 08 de Março, realizada no último dia 14, no auditório do Sindipetro/RJ.

Participaram da reunião: a Secretaria de Mulheres do PT, a Articulação de Mulheres do Brasil, a Fetag, o MST, o Sindicato dos Metalúrgicos, a Federação de Mulheres do Brasil, a União Brasileira de Mulheres, a Comissão de Mulheres da OAB, o Grupo Filipa de Souza, as Mulheres do MR-8, o Kizomba Lilás, o Grupo Rosa Sharom e feministas autônomas.

?

voltar ao topo


Todo dia é dia de luta

As datas destacadas no calendário, que lembram as lutas das minorias, são importantes por recuperar lutas históricas como, por exemplo, o Dia Internacional da Mulher - 8 de março. Este dia lembra a luta das mulheres trabalhadoras e a tradução da opressão na disputa pelo poder, pelo respeito, pela igualdade de direitos e oportunidades (1857).

A luta continua, mas o embate se traduz de maneira mais sutil, sofisticando-se, e se mantém neste mundo globalizado e multimídia. A luta contra a violência que as mulheres sofrem silenciosamente em casa com o marido, irmão, companheiro... a violência da desigualdade salarial, a precarização do trabalho que se dá pela feminização do trabalho, a depreciação da identidade feminina através do discurso da mídia (as músicas, os programas, as revistas...) que ainda tratam as mulheres como objeto, e inúmeras outras situações que nos revelam que, para além da guerra dos sexos, a disputa pelo poder, pela voz, continua de maneira voraz.

Lutando estamos sempre, mas há que se rever por que estamos lutando nos dias de hoje. A luta das mulheres é múltipla, articulada, muito mais integrada à luta por uma sociedade melhor, mais justa e igualitária, que tenha entre seus princípios a qualidade e o bem-estar social. A luta atualmente é muito mais plural. É luta sempre, é luta contra-hegemônica; por isso, luta de minoria.

O dia 8 de março deve nos lembrar que todo dia, como outros "dias internacionais" - das minorias, do meio ambiente, pelas causas sociais - é dia de luta e que "um dia só é pouco, é muito pouco" para articularmos forças para buscar "um outro mundo possível".

Glorya Ramos - Diretora do Sinpro-Rio

?

voltar ao topo


Manifesto: Não à desnacionalização da Educação Superior Brasileira

O Banco Mundial e grandes operadoras do capital, em parceria com empresários do ensino brasileiro, provocam o aprofundamento do processo de desnacionalização da educação superior. Está em curso grandes negociatas para a venda ao capital internacional de várias instituições de educação superior no Brasil. Enfrentar esta realidade exige clareza da trajetória da educação brasileira e das forças que se encontram em disputa.

As lutas históricas, do início da República até os nossos dias, apontam que as políticas educacionais estão sempre ligadas a projetos de Nação. Esses projetos revelam-se, grosso modo, por duas grandes tendências: uma, de ampliação democrática e de desenvolvimento nacional; outra, de restrições democráticas e de entrelaçamento a interesses internacionais, que visam manter a dependência econômica, política e ideológica do País.

É inegável, portanto, o papel estratégico que a educação desempenha em qualquer projeto de desenvolvimento nacional. A educação superior e, em particular, a universidade pública, é responsável pela pesquisa, pela produção de conhecimento, de ciência e de tecnologia; é formadora de cientistas e de trabalhadores altamente qualificados.

Assim, é fundamental que o Estado brasileiro implemente políticas de construção de uma educação pública, democrática e de qualidade social, em todos os níveis, e a constituição de um marco regulatório que enfrente a mercantilização.

Após a década de 1990, sob o argumento da liberdade conquistada na Constituição, interesses empresariais perseguiram a liberalização total da educação privada e a não interferência do Estado em seus rumos, e a concepção de que a educação, como serviço não exclusivo do Estado, é uma mercadoria como outra qualquer e deve ser regulada pela mão invisível do mercado.

Essas forças, além de buscar incluir a educação brasileira como um setor de serviços na Organização Mundial de Comércio (OMC), procuram remover obstáculos jurídicos para favorecer o estabelecimento de instituições educacionais estrangeiras.

Com a implementação da política neoliberal, o Brasil já teve parte significativa de sua base econômica estratégica passada para as mãos das grandes corporações transnacionais. Concomitantemente, a abertura do mercado interno, no mínimo, estagnou o nosso crescimento industrial, provocando a extinção de postos de trabalho e o crescimento do exército de reserva de mão-de-obra. Por outro lado, o Estado brasileiro perdeu força na gestão dos serviços públicos de qualidade. Não é preciso enumerar as conseqüências sociais advindas desse cenário.

Agora, o capital internacional está comprando instituições de educação superior privadas no Brasil, justamente por ser um setor que se expandiu em níveis nunca antes registrados e que vem auferindo enormes lucros.

Segundo levantamento realizado pelo Relatório Valor 1.000 Maiores Empresas, do jornal Valor Econômico, dez instituições do ensino superior privado estão entre as mil maiores no ano de 2005. Entre as dez maiores, está a Anhembi Morumbi, que, diga-se, foi adquirida na sua totalidade por um grupo internacional da educação. Recentemente, a imprensa noticiou investimos do Banco Mundial na ordem de US$ 12 milhões para financiar a compra de outra instituição superior de ensino privado no interior do estado de São Paulo.

A intensificação dessas ações do capital internacional não acontecem por acaso. Tramita no Congresso Nacional o projeto de reforma da educação superior no qual limita-se a 30%, no máximo, a participação do capital estrangeiro nas instituições de educação superior no Brasil. Por essa razão, o capital tem muita pressa, pois a reforma impedirá a compra total do capital votante das instituições.

Diante dessa investida do capital internacional, não podemos esperar a tramitação da reforma da educação superior no Congresso. É urgente que o Governo tome medidas imediatas que impeçam a venda das instituições de educação superior ao capital estrangeiro.

É inaceitável a ingerência do capital internacional nos assuntos educacionais de nosso País. Nós não aceitaremos que a educação se transforme em uma mercadoria a ser negociada na OMC. Nós não nos renderemos à mercantilização e à desnacionalização da educação brasileira.

Conceber a educação a partir de uma estrita lógica de mercado compromete os destinos das novas e futuras gerações. O que está em jogo é o futuro do País que necessita de um sistema de educação superior comprometido com o desenvolvimento democrático e soberano.

Diante desta ameaça à nossa soberania, a CONTEE conclama as entidades de educação e a sociedade brasileira a se manifestarem pela imediata ação do Governo para barrar tais negociatas. Convocamos as organizações democráticas e populares, as entidades educacionais, as entidades sindicais, a firmarem esse manifesto de denúncia, repúdio e convite à luta contra todas e quaisquer ingerências estrangeiras no campo da educação no País.

Este documento é uma iniciativa da CONTEE e tem apoio e assinatura das entidades de âmbito nacional abaixo relacionadas e será entregue ao Ministro da Educação e à Presidência da República.

CONTEE - CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES EM ESTABELECIMENTOS DE ENSINO

CNTE - CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO

CUT - CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES

UNE - UNIÃO NACIONAL DOS ESTUDANTES

UBES - UNIÃO BRASILEIRA DOS ESTUDANTES SECUNDARISTAS

?

voltar ao topo


Mestres da Folia dão aula de alegria

A primeira edição do Sinpro-Folia, que aconteceu no dia 17 de fevereiro, foi um sucesso. Na intenção de organizar um ponto de encontro e descanso para os professores presentes no desfile do Cordão do Bola Preta, a tenda do Sinpro-Rio transformou-se num bloco a parte. Desde o início a alegria tomou conta do local que acolheu nossos associados. A tenda chamou a atenção de quem passava pelo local levando alguns professores, que desconheciam o evento, a se informarem sobre seu Sindicato. Veja aqui as fotos da Folia.

?

voltar ao topo


Vagas para professores de história

A Faculdade de Formação de Professores (FFP), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), está oferecendo duas vaga de professor substituto, na área Ensino de História. È indispensável experiência em Educação Básica e os professores que se interessarem devem se inscrever de 6 a 9 de fevereiro, das 14 às 18 horas, na Secretaria do Departamento de Ciências Humanas da FFP, Rua Francisco Portela 794, bairro Paraíso, São Gonçalo. A avaliação será dividida em três partes; análise de currículo, entrevista e aula prova sobre tema escolhido pelo candidato na área de ensino de História. O resultado final sai dia 2 de março de 2007.

Mais informações, pelo telefone 2604-3232, ramal 227

?

voltar ao topo


UOL abre a Sala do Professor

Está no ar a Sala do Professor, do site do UOL Educação, que é um espaço destinado a educadores e professores dos ensinos fundamental e médio. Trata-se de uma idéia inédita, já que o portal não está vinculado a instituições como escolas, universidades e editoras de livros didáticos.

Na Sala do Professor haverá conteúdos que auxiliam o cotidiano dos docentes: planos de aula, projetos de trabalho, sugestões de atividades extra-classe e uma coleção de curtas-metragens que podem servir de ponto de partida para o debate, na escola, de aspectos da realidade brasileira. Há ainda uma seção de resenhas e indicações de livros pedagógicos.

Vale lembrar que a Sala do Professor será aberta a todos os internautas, assinantes ou não, do UOL; é só acessar, através do link Conexões Interessantes, no site do Sinpro-Rio, através do link Conexões Interessantes/Conexões de Educação/Revistas Educativas/Sala do Professor, no site do Sinpro-Rio!

?

voltar ao topo


Justiça obriga UGF a depositar o FGTS

Ao longo do ano de 2006, o Sindicato discutiu exaustivamente com a Reitoria da Universidade Gama Filho a quitação dos débitos trabalhistas para com seus professores, bem como a manutenção de um calendário de pagamentos e a regularização do saldo do FGTS. Embora em nossas reuniões a Reitoria sempre tivesse nos garantido que havia um acordo com a CEF para a referida regularização do saldo do FGTS, nunca recebemos cópia do referido acordo. Daí que só nos restou ingressar com uma Reclamação Trabalhista, cuja sentença, de forma liminar, segue abaixo:

"defiro parcialmente o pedido antecipatório para determinar que a reclamada deposite na conta vinculada dos empregados substituídos o valor relativo às parcelas vincendas do FGTS, incidente sobre a remuneração paga a partir do mês de janeiro de 2007, sob pena de multa mensal no valor de R$ 300,00 por cada empregado."

Quanto aos valores não depositados (parcelas vencidas), a juíza, Maria Bernadete Miranda Barbosa da Silva, determinou a elaboração dos cálculos, deixando a decisão para a sentença final.

?

voltar ao topo


Sindicato atento às homologações em janeiro

O mês de janeiro é marcado pelo recesso escolar, mas o Sinpro-Rio continua atuando. Durante esse período, ocorrerão as homologações dos professores dispensados em dezembro. Dentre as instituições que marcaram homologações estão: UniverCidade, Colégio da Cidade, Instituto Metodista Bennett, Cultura Inglesa e Estácio de Sá.

Vale lembrar que o Sinpro-Rio esteve presente nas negociações dessas demissões, tentando sempre chegar a um acordo entre a instituição e os profissionais, visando a defender a categoria - como ocorreu na UniverCidade, no Colégio da Cidade e no Instituto Metodista Bennett, onde ficou claro que não haveria acordo sem a quitação das verbas rescisórias.

Já a Universidade Gama Filho e o Colégio Gama Filho demitiram seus professores, mas não marcaram as homologações. No dia 4 de janeiro, em reunião com os professores, no Sindicato, com a presença da Associação de Docentes, os professores autorizaram o Sinpro-Rio e a Associação a procurarem a direção geral da UGF e a pressionarem-na para fazer as homologações, mesmo sendo parciais e com ajuizamento de ações a posteriori. Além disso, ficou acertado que o Sinpro-Rio e a Associação, juntos, publicarão uma nota no Jornal O Globo denunciando essa situação e entrarão com ação no MP contra a UGF. Haverá uma nova assembléia para deliberar sobre a situação dos docentes.

?

voltar ao topo