Sinpro-Rio ingressa com Ação na Justiça contra Ato discriminatório da Prefeitura do Rio JANEIRO

Destaque na primeira pagina
Sinpro-Rio ingressa com Ação na Justiça contra Ato discriminatório da Prefeitura do Rio JANEIRO

Tendo em vista a ação discriminatória realizada pela prefeitura do Rio de Janeiro, em relação à não inclusão dos professores e demais profissionais da educação privada no novo calendário de vacinação contra o Covid-19, o Sinpro-Rio fez várias tentativas de diálogo com a secretaria municipal de educação e não obteve uma resposta satisfatória que inserisse a categoria do setor privado no novo calendário, junto com os profissionais de educação da rede pública.

O fato levou o sindicato a ingressar com um pedido de liminar no TJ ainda no domingo, dia 18 de abril, no plantão judicial, para a inclusão dos professores e professoras da escola privada neste novo calendário de vacinação. O juízo de plantão entendeu não se tratar de caso EMERGENCIAL e por isso, considerou que ele não deveria ser definido no plantão judicial, remetendo a petição para o juízo da segunda-feira. Até as 18h de hoje, dia 19 de abril, a petição não havia sido distribuída, não tendo, ainda, um juiz para o caso.

O Sinpro-Rio, através do seu departamento jurídico, está acompanhando a movimentação e assim que obtivermos uma resposta, esperamos que positiva, passaremos para a categoria de imediato. Estamos juntos nessa luta. Se eles combinaram de nos matar, nós combinamos de não morrer.

SINPRO-RIO NA LUTA EM DEFESA DA EDUCAÇÃO E DA VIDA!

  • Deseja ler a notícia "PREFEITURA DO RIO DISCRIMINA PROFESSORES/AS DO ENSINO PRIVADO NA VACINAÇÃO"? CLIQUE AQUI!